wao logo

 


WAO Notícias & Lembretes

Revisão de Revistas Médicas de Junho
Ponto de Encontro de Sociedades Membro da WAO
WAO Agora: O que há de novo no mundo da WAO
Solicitação de bolsas

E em outras notícias . . .

Revisão de Revistas Médicas de Junho

Mark C. Glaum, M.D., Ph .D., Editor convidado da WAO, Professor Assistente de Medicina e Pediatria, Faculdade de Medicina da Universidade do Sul da Flórida, revisou os principais artigos de interesse para os alergistas práticos.

1. A SUPRESSÃO ÁCIDA MELHORA A FUNÇÃO RESPIRATÓRIA EM ASMÁTICOS PERSISTENTES COM REFLUXO GASTROESOFÁGICO (RGE) E SINTOMAS NOTURNOS
Pacientes com asma persistente moderada a grave (n=770) foram randomizados para receber esomeprazol 40mg duas vezes ao dia ou placebo. Os pacientes foram estratificados em 3 grupos: RGE com sintomas noturnos; RGE sem sintomas noturnos ; e sintomas noturnos sem RGE. Nos pacientes com RGE e sintomas noturnos, o grupo tratado com esomeprazol mostrou mehora do pico de fluxo expiratório matutino (p = 0,03) e vespertino (p = 0,012) em comparação ao placebo. Não se observou melhora nos pacientes sem RGE ou sem sintomas noturnos. Comentário do editor: O tratamento do refluxo gastroesofágico é um componente importante do tratamento da asma em alguns pacientes. Kiljander TO, Harding SM, Field SK, et al. Am J Respir Crit Care Med 2006; 173: 1091-97

2. A HIPERSENSIBILIDADE DE CONTATO É MEDIADA POR CÉLULAS NATURAL KILLER (NK) NA AUSÊNCIA DE LINFÓCITOS T E B
A hipersensibilidade de contato é considerada um protótipo de reação de Gell e Coombs tipo IV a haptenos. Entretanto, em ratos repletados de linfócitos T e B, se encontrou-se um modelo de dermatitis de contato induzido com 2,4-dinitrofluorobenzeno e oxazolona. Se os animais eram depletados de todos os linfócitos (incluindo as células NK), a hipersensibilidade de contato não era induzida. A hipersensibilidade de contato específica pode ser reconstituída nestes animais assim que houve a transferência adotiva de células NK a partir de doadores NK competentes sensibilizados. Comentário do editor: as células NK não eram reconhecidas anteriormente como mediadoras da imunidade específica a haptenos. Por favor, leiam os excelentes editoriais que acompanham o artigo. O'Leary JG, Goodarzi M, Drayton DL, von Andrian UH . Nat Immunol 2006; 7(5): 507-16, Yokoyama WM; 437-9, Parham P. Nature 2006; 441(25): 415-16. Não foi publicado o resumo.

3. NOVO POLIMORFISMO DOS RECEPTORES BETA-2 (B2) SE ASSOCIA CON A GRAVIDADE DA ASMA EM AFRO-AMERICANOS
A partir de 2.032 pacientes recrutados para estudo de segurança, cruzado, multicêntrico, randomizado, controlado com placebo, que avaliava a segurança de vacina inativada contra a influenza em pacientes com asma, 517 consentiram em participar de genotipagem para avaliar a associação de polimorfismos particulares de B2 com as taxas de exacerbação da asma e os sintomas. Quarenta por cento dos asmáticos afro-americanos homozigotos para o alelo C523 experimentaram uma exacerbação em um período de 2 semanas após a aplicação de placebo comparadas aos 29% nos heterozigotos (p = 0,018). Comentário do editor: São necessários mais estudos para avaliar as associações entre as variantes B2 nos fenotipos de asma, particularmente em populações minoritárias. Lima, JJ, Holbrook, JT, Wang J, et al. Asthma 2006; 43:185-9

4. TOSSE SUBAGUDA: É UMA ENTIDADE SEPARADA?
Cento e oitenta e quarto pacientes diagnosticados como tendo tosse subaguda (duração 3-8 semanas) foram admitidos e tratados de modo prospectivo empregando-se um algoritmo clínico. Os pacientes que exibiam sinais clínicos ou sintomas de secreção pós-nasal ou tosse após infecção foram tratados empiricamente com associação antihistamínico/ descongestionante por 3 semanas. Se não houve melhora os pacientes foram avaliados para hiperreatividade das vias aéreas e se sensíveis foram tratados com corticosteróide inalado. Dos 184 pacientes, 48% foram diagnosticados como tendo tosse pós-infecciosa, 33% tinham secreção pos nasal e apenas 16% tinha asma variante tosse que melhorou com corticosteróides inalados. Comentários do Editor : Tosse com duração de 3 a 8 semanas é frequentemente pós-infecciossa e auto-limitada. Kwon N, Oh M, Min T, et al. Chest 2006;129: 1142-7

5. DEFICIÊNCIA DE IGA E IGG2 SE CORRELACIONA COM SINTOMAS DE ASMA E FUNÇÃO PULMONAR.
Adultos com asma grave e leve (n= 31, idades 23-50) e 15 adultos controle foram recrutados para avaliar alguma associação entre níveis baixos de imunoglobulinas e sintomas de asma, função pulmonar e marcadores celulares de inflamação por biópsia brônquica endoscópica. Níveis de IgG (p = 0,02) e IgA (p=0,006) eram mais baixos entre os com asma grave em comparação aos controles. Apenas os níveis baixos de IgA se correlacionaram com os sintomas de asma e função pulmonar (p<0,009), enquanto que níveis de IgA e IgG se correlacionaram de modo positivo com o número de mastócitos teciduais. Comentários do Editor: Alterações nos níveis de produção de anticorpos pode ser marcador de fenótipos de asma grave. Balzar S, Strand M, Nakano T, Wenzel SE. Int Arch Allergy Immunol 2006; 140:96-102

6. MARCADORES INFLAMATÓRIOS ESPECÍFICOS NO ESCARRO SE CORRELACIONAM COM A FUNÇÃO PULMONAR NA FIBROSE CÍSTICA, MAS NÃO NA BRONQUITE CRÔNICA.
Amostras de escarro induzido foram obtidas de 15 pacientes com bronquite crônica segundo definição da ATS e 16 paciente com fibrose cística (FC) confirmada pelo teste do cloreto no suor. A espirometria foi realizada ao mesmo tempo da coleta do escarro e novamente ao final do estudo. Nas amostras de escarro foram determinados: IL-8, mieloperoxidase (MPO) e conteúdo de DNA. A transportabilidade pela tosse do escarro (CTR) (medida da adesividade) foi também avalaida por método in vitro. Nos pacientes com FC as concentrações no escarro de IL-8 e MPO foram inversamente correlacionadas ao VEF1 (p=0,003), enquanto que a IL-8 e concentrações de DNA foram inversamente correlacionadas com CTR (p<0,05). Não houve correlação entre os com bronquite crônica. Comentários do Editor : As concentrações em escarro de IL-8, MPO e DNA podem servir como marcadores de obstrução das vias aéreas em FC. Kim J, Okamoto K, Rubin BK. Chest 2006;129: 1148-54

7. ASSOCIAÇÃO POSITIVA ENTRE NÍVEIS DE PARTÍCULAS NO AR E INFLAMAÇÃO DAS VIAS AÉREAS EM CRIANÇAS ASMÁTICAS.
Crianças com asma persistente moderada a grave (n = 73) foram acompanhados prospectivamente por período superior a dois anos. Concentrações diárias ambientais de material particulado fino, suo diário de broncodilatadores, e níveis de leucotrienos urinários foram medidos. A exposição a material particulado durante a manhã na ida á escola foi associado a aumento de 3,8% no uso de broncodilatador na escola (p = 0,04). Associações mais fortes foram notadas entre os com asma mais grave. Níveis máximos matinais de material particulado correlacionam com aumento médio de 6.2% nos níveis de leucotrieno E4 medidos durante o período da escola (p = 0,006) mas não quando os níveis foram avaliados por mais de 24 horas. Comentários do Editor: A exposição ambiental a material particulado pode piorar a inflamação da via aérea e sintomas de asma em crianças predispostas. Também é recomendável ler o editorial. Rabinovitch N, Strand M, Gelfand EW Am J Respir Crit Care Med 2006; 173:1098-1105, Delfino RJ, 173:1054-5

8. EXPOSIÇÃO A PÓ DE PINHEIRO PREDISPÕE A ATOPIA E DIMINUIÇÃO DA FUNÇÃO PULMONARY.
Trabalhadores Neo-zelandeses de serrarias com (n = 59) e sem (n = 167) sintomas de asma avaliados por questionário foram avaliados quanto a exposição pessoal a pó inalado, reatividade cutânea por teste com alérgenos e espirometria pré/ pós exposição laboral. Exposição elevada ao pó de pinheiro verde (Madeira para construção) foi associado com sensibilização a mais de 3 pólens externos (OR 3,1, p<0,05), enquanto que a alta exposição a pinheiro verde e a seco ( para lareira ) foi associado a reduções no VEf1 e PFE. Comentários do Editor: Exposição a certas partículas podem modular a sensibilização a alérgenos e a função da via aérea. Douwes J, McLean D, Slater T, et al. Eur Respir J 2006; May 17 (doi: 10.1183/09031936.06.00120305)

9. RELATO DA FORÇA TAREFA SOBRE IMUNOTERAPIA SUBLINGUAL (SLIT)
Este relatório conjunto entre AAAAI/ACAAI é uma revisão compreensiva das evidências atuais que apoiam a dosagem, efetividade e eficácia da imunoterapia sublingual. Outras areas revistas neste documento incluem: resposta imunológica à SLIT; mudanças na inflamação no órgão alvo; mecanismos potenciais e custos. Comentários do Editor Este documento discute a literature atual sobre imunoterapia e provê sugestões onde estudos futuros são necessários. Cox LS, Linnemann DL, Nolte H, et.al. J Allergy Clin Immunol 2006;117: 1021-35

10. REVENDO A AVALIAÇÃO E O TRATAMENTO DO ANGIOEDEMA HERIDITÁRIO
Esta revisão enfoca o estado atual de testes genéticos para o angioedema hereditário, entretanto, também provê revisão concisa dos mecanismos, avaliação e tratamento da doença. Há vários algoritmos e quadros que resumem claramente a classificação do angioedema hereditário e o adquirido, assim como avaliação boratorial, tratmento e profilaxia sirúrgica para pacientes com este problema. Comentários do Editor: Esta revisão sumariza a evolução e tratamento do angioedema hereditário e o adquirido em formato claro e acessível. Weiler CR, Van Dellen RG. Mayo Clin Proc 2006; 81(7): 958-72


Ponto de Encontro de Sociedades Membro da WAO - Sociedade Japonesa de Alergología

A Sociedade Japonesa de Alergología (JSA) se alegra em anunciar que a próxima Reunião de Outono, "Perseguindo a Meta da Alergologia Resolvendo a Condição Patológica, Tratamento e Prevenção " acontecerá no Foro Internacional de Tóquio, em Tóquio, Japão de 2 a 4 de novembro de 2006. Se realizará uma nova iniciativa, a sessão internacional, em que todas as apresentações e discussões serão em inglês. O seu propósito é promover a internacionalização da JSA de maneira que as conferências bianuais da JSA servirão de campo de encontro para investigadores de todo o mundo no futuro. Para obter mais informações sobre este congresso, contatar a allergy-56th@ped.dept.med.gunma-u.ac.jp. O convidamos a participar de nosso congresso em que participarão mais de 3000 investigadores japoneses e lhes dará a oportunidade de dsicutir seus temas de investigação . Os membros da JSA esperam encontrá-lo no Japão.

Outro anúncio significativo da JSA é que a revista oficial em inglés da JSA, "Allergology International" (AI), se encontra disponível online. O convidamos a acessar o número atual (http://ai.jsaweb.jp/current.html) assim como os números anteriores (http://ai.jsaweb.jp/past.html). AI publica artigos de excelência científica revisados por pares em alergologia humana e experimental e campos de investigação relacionados. A revista aponta para o intercâmbio internacional de resultados e estimula os autores de todo o mundo a enviarem seus trabalhos nas seguintes categorias: Artigos originais, Relatos de Casos, Comunicações Breves, Cartas ao Editor e Hipóteses. A revista atualmente aceita o envio de trabalhos para possível publicação. A aceitação de todos os trabalhos se baseia na qualidade e originalidade da investigação e seu significado para os leitores da revista. Exceto nos casos em que se estabeleça outra coisa, os manuscritos são revisados por pelo menos dois anônimos e o Editor. o manuscrito original e três cópias deverão ser enviados ao Editor Chefe de Allergology International, Sociedade Japonesa de Alergologia, 7F Ishimizu Bld., 1-35-26 Hongo, Bunkyo-ku, Tokio 113-0033, Japão. Para mais instruções relativas ao envio de manuscritos visite o site: http://ai.jsaweb.jp/

Enviado por: Hirohisa Saito
Sociedade Japonesa de Alergologia
URL: http://www.jsaweb.jp/
E-mail: info@jsaweb.jp


WAO Agora: O que há de novo no mundo da WAO

Bolsa de investigação de longa duração da WAO

A Organização Mundial de Alergia (WAO) oferece uma bolsa de investigação de longa duração (dois anos), com início ao final de 2006. A bolsa será outorgado a jovem alergista para realizar um programa de investigação aprovado em um centro proposto pela WAO. Lista com os centros está inclusa na solicitação. A WAO proporcionará ao bolsista um pagamento mensal e os gastos anuais de viagem.

Será dada prioridade a jovens clínicos com menos de cinco anos desde a sua graduação, que esteja se especializando em alergia e que se encontre afiliado a um departamento acadêmico ou instituto clínico. Os candidatos devem ser membros ativos de uma sociedade membro da WAO.

A bolsa de longa duração da WAO será outorgada a projeto que se enquadre em uma das prioridades de investigação da WAO:

  • Fatores genéticos envolvimos no desenvolvimento da doença alérgica e a resposta ao tratamento
  • Caracterização e padronização de alérgenos
  • Estudos básicos e clínicos em alergia e asma

Os formulários de solicitação podem ser obtidos aqui.

Fórum Mundial de Alergia durante o XXV Congresso da EAACI:

"Alergia que ameaça a vida Uma Homenagem a Von Pirquet"

Esta magnífica conferência internacional foi presidida por Michael A. Kaliner e Anthony Frew, e brindou uma atualização internacional sobre as doenças alérgicas que põem em risco a vida. O primeiro dissertante, Aziz Sheikh (Edimbburgo, Escocia), a presentou uma análise sobre a epidemiologia da anafilaxia, e a apresentação de Richard F. Lockey (Tampa, FL. EE.UU.) enfocou os mecanismos da anafilaxia. O simpósio foi concluído por F. Estelle R. Simons (Winnipeg, Canadá), que apresentou o tratamento da anafilaxia.

Clique aquí  para ver os resúmenes e os slides e ouvir as conferências.

Conversas com a WAO

Estamos orgulhosos de anunciar uma nova conversa da WAO com Malcolm R. Sears. Para escutar o Dr. Sears falando sobre os temas atuais associados aos beta agonistas, clique aqui.

Subscreva a revista On-Line

WAO e Hogrefe & Huber Publishers estão oferecendo um número limitado de subscrições online gratuítas da Allergy & Clinical Immunology International - Journal of the World Allergy Organization para membros de países em desenvolvimento . Se você estiver interessado em receber uma subscrição online de cortesía, por favor envie um e-mail a info@worldallergy.org, colocando "Free Journal Subscription" no assunto com os seguintes detalhes:

Nome
Sobrenome
Código postal  
Cidade, Estado /Provincia e código postal
País
E-mail
Nomre da Sociedade Membro


E em outras notícias...

Revisão de livro de alergia

Provas de Função Pulmonar
Monografía Europeia Respiratória 2005
Editores: R Gosselink and H Stam

Preço de lista: $80.00 USD
Accesible em Maney Publishing

Revisor: Dr Janet Rimmer, MBBS, MD, FRACP. Instituto Woolcock, Universidade de Sidney, Austrália

Descrição:
As provas de função pulmonar são parte integral do exame do sistema respiratório. Esta monografía descreve os aspectos principias deste processo de avaliação. Os temas abordados incluem a espirometria, volumes pulmonares, difusão, controle da respiração, força muscular e secções sobre provas de exercício. Há também secções sobre áreas menos comuns tais como a oscilometria forçada, provas em crianças e em pacientes em UTI. Se descrevem os métodos básicos e sua interpretação e se relacionam com os estados clínicos de doença.

Propósito:
Prover actualização na realização e interpretação das provas de função respiratória para clínicos.

Este livro pode ser utilizado por clínicos e investigadores interessados no conhecimento da teoria e o equipamento utilizado na avaliação e monitoramento contínuo das doenças respiratórias. Os aspectos básicos científicos são bastante complexos e deste modo o livro não será útil provavelmente para estudantes de medicina.

Características:
Este livro é um resumo muito conciso de muitos dos diferentes aspectos da função pulmonar. O leitor necessitará ter o conhecimento básico prévio da função pulmonar para poder apreciar o texto. Cobre as conexões entre la ciência básica, fisiopatologia e aplicação clínica. Cada capítulo brinda um excelente resumo dos pontos principais.

Avaliação:
Provas de função pulmonar é a 31ª Monografía Europeia Respiratória, uma série que começou em 1995. Enquanto que outras monografias da série haviam tratado em detalhe temas isolados da função pulmonar, a monografia atual brinda um resumo muito conciso (206 páginas) da maioria dos aspectos das provas de função pulmonar. Suas vantagens são cubrir tanto os métodos bem estabelecidos como os novas e que cada capítulo tem um secção dirigida à aplicação clínica.

Encontre mais revisões de livros de alergia no site web da WAO clicando aqui.

A missão da World Allergy Organization é desenvolver uma aliança global de sociedades de alergia para fomentar a excelência no atendimento clínico, na pesquisa, na educação e no treinamento de profissionais. Visite-nos na Web em http://www.worldallergy.org/

Secretaria da World Allergy Organization (WAO)
555 E. Wells Street, Suite 1100
Milwaukee, WI 53202-3823
Email: info@worldallergy.org

Você recebeu esta mensagem porque é membro da WAO Member Society, está inscrito para receber a e-letter mensalmente ou fez contato anterior com a World Allergy Organization. Se não mais desejar receber mensagens da WAO, responda a esta mensagem escrevendo REMOVE na linha de assunto.

Possibilitado por subvenção irrestrita de Novartis.