wao logo


WAO Novas & Notas

Revisão dos Jornais Médicos de Agosto
Ponto de Encontro de Sociedades Membro da WAO
WAO Agora: O que há de novo no mundo da WAO
E outras notícias

Revisão dos Jornais Médicos de Agosto

O Prof. Richard F. Lockey, MD, Editos chefe da Web da WAO revisou revisou os principais artigos de jornais médicos de Agosto para alergistas práticos.

1. DETECÇÃO DIRETA DE BIOFILME DE BACTÉRIAS EM MUCOSA DA ORELHA MÉDIA (MOM) DE CRIANÇAS COM OTITE MÉDIA CRÔNICA (OMC)
Este estudo avaliou a hipótese de que OMC em humanos é relacionada a biofilme bacteriano. Fragmentos de biópsia da MOM foram obtidos de 26 crianças com média de idade 2,5 anos (variação 0,15 a 14 anos) obtidos durante colocação de tubo de timpanostomia por otite médica com efusão (OME) e OM recorrente. Biópsias de controle foram obtidas de oito indivíduos que foram submetidos a implante coclear. As amostras foram analisadas quanto: cultura microbiana, diagnóstico baseado em reação de cadeia de polimerase (PCR), exame por microscopia direta, hibridização in situ por fluorescência, e imunohistoquímica. Os biofilmes da mucosa foram visualizados por laser microscopia de varredura a laser confocal empregando-se probes genéricas e patógenos específicas em 46 (92%) das 50 espécimes de MOM (vs controles não-infectados) de crianças com OME e OM recorrente. Comentários do Editor: O encontro de biofilmes em material obtido de biópsias de crianças com OME e OM recorrente sustenta a hipótese de causa e efeito na patofisiologia da OM crônica. Hall-Stoodley L, et al. JAMA 2006; 296: 202.

2. IMUNOTERAPIA ULTRA-RÁPIDA COM VENENO (ITV) INDUZ ATIVAÇÃO DIFERENCIAL E DE PADRÕES REGULATÓRIOS DE CÉLULAS T SEGUNDO A GRAVIDADE DA ALERGIA.
Os objetivos deste estudo foram avaliar os efeitos iniciais da ITV ultra rápida sobre a ativalção e perfil regulatório de linfócitos T em pacientes alérgicos a vespa segundo os quatro diferentes graus de gravidade segundo a classificação de Mueller. Os autores observaram que ocorre mudança de células T helper tipo 2 (Th2) a Th1 durante a ITV ultra rápida, paralelamente ao aumento natural e adquirido de células T regulatorias. Esses eventos imunológicos ocorrem precocemente e em níveis elevados em pacientes menos graves sugerindo que a tolerância é mais fácil de acontecer em pacientes com reações menos graves. Comentários do Editor: As alterações imunológicas induzidas durante a ITV ultra rápida são evidentes e fáceis de alcançar em pacientes com reações de menor gravidade. Mamessir E, et al. Clin and Exp Allergy 2006; 36: 704.

3. CONTROLE DA INFLAMAÇÃO DA VIA AÉREA MANTIDA COM ESTERÓIDE EM DOSE BAIXA COM 100/50 μg DE PROPIONATO DE FLUTICASONA (PF) /SALMETEROL
Oitenta e oito indivíduos, maiores de 18 anos, que demonstraram melhora da asma após aumento de PF 100 μg duas vezes ao dia para 250 μg duas vezes ao dia foram randomizados para receber 100/50 μg de PF/salmeterol duas vezes ao dia ou continuar com PF 250 μg duas vezes ao dia por inalador Diskus, durante 24 semanas. Os desfechos clínicos, os resultados das biópsias brônquicas e das análises do lavado broncoalveolar mostraram resultados similares. Os autores concluem que doses baixas de PF com salmeterol versus dose elevada de PF é igualmente efetivo no controle da inflamação e de sintomas de asma. Comentários do Editor: O Salmeterol aumenta os benefícios clínicos do PF. Jarjour NN et al. J Allergy Clin Immunol 2006; 118: 44.

4. CURSO CURTO DE CORTICOSTERÓIDE SISTÊMICO (CS) NA POLIPOSE NASOSSINUSAL (PNS): ESTUDO DUPLO-CEGO, RANDOMIZADO E CONTROLADO POR PLACEBO COM AVALIAÇÃO DE MEDIDAS DE DESFECHO.
Pacientes com PN sintomática e diagnosticada por via endoscópica receberam prednisolona (P) 50 mg diariamente por 14 dias ou placebo em estudo duplo-cego, randomizado e controlado por placebo. O grupo tratado com P mostrou melhora significante nos sintomas nasais (p<0,001); escore de medida de desfecho de rinossinusite (p<0,001); e redução no tamanho do pólipo, como observado por via endoscópica (p <0,001) e MRI (p<0,001). Quatorze dias de P (50 mg/dia) foi seguro e efetivo pata PN. Comentários do Editor: O tratamento médico para PN é efetivo. Hissaria P, et al. J Allergy Clin Immunol 2006; 118: 128.

5. FUNÇÃO ANTI-APOPTÓTICA DE microRNA CODIFICADO PELO HSV-1 ASSOCIADO A LATÊNCIA DE TRANSCRIÇÃO.
O virus do Herpes simples 1 (HSV-1) permanece adormecido no sistema nervosa periférico até que seja reativado causando sintomas de resfriado. Apenas um gene é expresso durante a fase de latência quando o vírus não é produzido. O vírus produz microRNA que protége neurônios infectados da apoptose ou morte celular, então a infecção persiste até que seja reativada. Comentários do Editor: MiRNAs não são os principais reguladores da expressão do gene em células de mamíferos mas também no HSV-1, promovendo um esconderijo para esses vírus nos neurônios. Gupta A, et al. Nature 2006; 442: 82. Editorial por Sugden B, p 33.

6. SEGURANÇA E EFICÁCIA DE AUTO-ADMINISTRAÇÃO DE IMUNOGLOBULINA SUBCUTÂNEA (IGSC) EM PACIENTES COM IMUNODEFICIÊNCIAS PRIMÁRIAS (IDP). Este estudo aberto investigou a eficácia e segurança de IGSC (16% IgG) em pacientes com IDP. Sessenta e cinco pacientes realizaram estudo com wash out e wash in de três meses de duração para trazê-los a fase de estabilidade com IGSC. Seguiu-se por 12 meses de tratamento com administração semanal de IGSC na dose de 158 mg/kg. Os níveis séricos médios de IgG aumentaram de 786 a 1040 mg/dL durante o estudo 9incremento médio de 39%). O evento adverso mais frequentemente relatado foi reação no local da infusão por 91% dos pacientes e tolerado por muitos. Comentários do Editor: IGSC é segura, efetiva e uma alternative para a Imunoglobulina intravenosa. Ela parece ser mais custo- efetiva. Ochs HD, et al. J Clin Immunol 2006; 26: 265

7. A CARGA NÃO-RECONHECIDA DA INFLUENZA (INF) EM CRIANÇAS JOVENS (CJ)
Este estudo de vigilância epidemiológica de visitas médicas associadas a confirmação laboratorial de INF demonstrou que a média anual de hospitalização associada a INF foi 0,9 por 1000 CJ (0-6 anos). A carga estimada foi 50 visitas clínicas (VC) e 6 visitas a serviço de emergência (SE) por 1000 CJ durante a estação de 2002-2003 e 95 VC e 27 visitas ao SE por 1000 CJ durante a estação de 2003-2004. Poucas CJ que tiveram INF confirmada por laboratório receberam o diagnóstico de INF no setor de hospitalizados (28%) ou externos (17%). INF entre os externos foi 10 a 250 vezes mais comum do que nos hospitalizados. Comentários do Editor: INF comumente causa doença respiratória em crianças menores de 6 anos. Talvez todas as crianças menpores de 6 anos devessem ser vacinados com INF. Poehling KA, et al. N Engl J Med 2006; 355: 31.

8. ULCERAÇÃO AFTOSA
O autor apresenta considerações extensas sobre diagnóstico diferencial de úlceras orais recorrentes. A etiologia das úlcera aftosas permanece desconhecida, mas esta condição pode ser muito desconfortável e dolorosa. O tratamento recomendado se baseia nos dados disponíveis a partir de estudos randomizados e controlados que incluem corticosteróides tópico em pasta, pasta a 5% de amlexanox, ou tratamento com antiséptico bucal tais como gluconato de chlorhexidina. Comentários do Editor: Freqüentemente pacientes acreditam que as ulcerações aftosas são causadas por alergia; assim o alergista obriga-se a conhecer o diagnóstico diferencial e como tratar esta afecção tão comum. Scully C. N Engl J Med 2006; 355: 165.

9. TRATAMENTO DA RINOSSINUSITE CRÔNICA (RSC) E SEU EFEITO NA ASMA.
Este estudo relata os resultados do tratamento de 43 pacientes com RSC com ou sem pólipo nasal e asma concomitante. Os tratamentos médico e cirúrgico foram associados com melhora objetiva e subjetiva da asma. Entretanto, foi melhor mantido após o tratamento medico em que pode se demonstrar no subgrupo dos pacientes com polipose nasal. Tratamento médico vs cirúrgico foi também superior na redução do óxido nítrico exalado e no aumento do VEF1 em pacientes com pólipo. Comentários do Editor: Este estudo demonstra que o tratamento médico ou cirúrgico para RSC melhoram a asma. O tratamento clínico parece ser melhor. Ragab S, et al. Eur Respir J 2006; 28: 68.

10. EM DIREÇÃO À SUTILIDADE: COMPREENDENDO O PAPEL DA SINALIZAÇÃO DO RECEPTOR TOLL-LIKE (TLR) NA SUCETIBILIDADE A INFECÇÕES EM HUMANOS.
Tem havido aumento dramático no entendimento do papel da imunidade inata, em particular, da sinalização do TLR na defesa do hospedeiro humano. Em artigo de seis páginas os autores brilhantemente delineiam os defeitos na sinalização dos TLR humanos que aumentam a suscetibilidade a infecções. A revisão destaca os mecanismos de suscetibilidade infecciosa que resultam de interações complexas entre variáveis genéticas do hospedeiro e do micróbio e explora como esse conhecimento ultimammente tem sido transposto para benefício do paciente. Comentários do Editor: Anormalidades do sistema de imunidade inata, neste caso, a sinalização dos TLR são importante em medicina clínica. Turvey SE, Hawn TR. Clin Immunol 2006; 120: 1.

11. REVISÕES SOBRE DERMATITE ATÓPICA (DA)
O JACI de Julho tem uma variedade de artigos em DA. Os temas discutidos incluem: Disfunção da barreira epidérmica na DA e interação gene-ambiente na DA, genética da DA, pérolas clínicas a respeito deste tema, consenso sobre DA das Academias Européia e Americana, a vasculatura na DA, distúrbio do sono associado à DA e seu manejo, defeitos de imunidade inata na DA, artigo de Rostrum desafiando três conceitos vigentes, um artigo original sobre “Perda das variações de função da gene da filagrina predispõe à DA”, e perspectivas do paciente sobre a DA. Comentários do Editor: Progresso tem sido feito no entendimento e tratamento deste problema médico complexo e vexatório. J Allergy Clin Immunol, July 2006; 118(1)

12. ATUALIZAÇÃO EM MEDICINA INTERNA GERAL (IM)
Este artigo sumariza os maiores avanços publicados em 2005 de interesse para o médico clínico geral. Por exemplo, a vacina do virus herpes zoster é recomendada para todos os pacientes imunocompetentess maiores de 60 anos de vida. Além disso, a vitamina D, 800 UI/dia, mais suplementos com cálcio são recomendados para mulheres com risco elevado de fratura. Outra recomendação a considerer é o tratmento com brometo de tiotrópio para pacientes com DPOC. Médicos também deveriam parar de prescrever altas doses de vitamina E (sem benefício) e bisfosfonato (não custo-efetivo) para prevenção de fraturas em mulheres com osteopenia (escore T entre -1,5 e -2,4). Comentários do Editor: Revisão maravilhosa e de fácil compreensão sobre as maiores inovações em medicina para todos os médicos. Knight CL, Fihn SD. Ann Intern Med 2006; 145: 52.


Ponto de Encontro de Sociedades Membro da WAO - Sociedade CIS de Alergologia e Imunologia

A Sociedade CIS (Comunidade de Estados Independentes) de Alergologia e Imunopatologia é uma organização não-governamental que coordena as atividades de cientistas medicos e de especialistas em saúde pública da Rússia e de outros paíse da Comunidade de Estados Independentes no campo da alergologia, imunologia, pesquisa básica em asma, profilaxia e manejo. A Sociedade reúne mais de 4500 membros de 12 países da CIS assim como 15 sociedades nacionais e 7 regionais de alergologistas e imunologistas. A Soiedade CIS de Alergologia e Imunologia publica quarto jornais: "Allergology and Immunology," "Asthma," "International Journal on Immunorehabilitation," e "Immunophysiology, Immunorehabilitology, Clinical Immunology and Allergology" (juntamente com a Academia Russa de Ciências).

Nossa sociedade é a sucessora da Sociedade de imunologia da União Siviética que foi fundada em Junho de 1983 com o seu primeiro Congresso realizado em 1989.

A Sociedade CIS de Alergologia e Imunologia é membro da WAO assim como de outras organizações internacionais e regionais tais como EAACI, AAAAI, e ACAAI.
Nossa Sociedade tem grande experiência na organização de congressos e conferências internacionais importantes. Em 2001, sediamos o I Congresso Europeu de Asma em Moscou; em 2003, o XVII Congresso Mundial de Asma em São Petersburgo, e nossos eventos no Teatro Bolshoi em 2001 e em Petershoff em 2003 estão gravados na memória dos congressinstas que dele participaram.

Em 11-13 de Setembro de 2006, o VI Congresso de Imunologia e Alergologia da CIS ocorreu em Moscou. A cerimônia de abertura do Congresso incluiu a apresentação official da edição russa do Allergy & Clinical Immunology International – Journal of the World Allergy Organization. Ele foi evento importante para alergistas e imunologistas nos países pós-Soviéticos e se tornou uma realidade por nossa cooperação com o Professor Allen Kaplan, ex-presidente da WAO e apoio financeiro do projeto pelo “Immunology Research Institute of New England (IRINE). Esperamos que a publicação deste proeminente jornal em russo possa contribuir para o desenvolvimento futuro da alergia e imunologia dos países da CIS e melhorar os níveis de educação, não apenas de alergologistas e imunologistas, mas também de especialistas envolvidos em campos correlacionados. Isso promoverá níveis elevados de padrões de cuidados médicos nos países da CIS e na implementação de pesquisas recentes na prática clínica que é um dos pontos chaves de nossa sociedade. Outra meta importante da Sociedade CIS de Alergologia e Imunologia é estabelecer uma ponte de ligação entre cientistas e agentes de saúde.

Em Abril de 2007, será realizado o VII Congresso CIS de Alergologia e Imunologia, em Moscou. De 21 a 24 de Abril de 2007 teremos a grande chance de sediar o V Congresso Europeu de Asma e o I Congresso Mundial de DPOC em Moscou. Ficaremos felizes de encontrar alegologistas, imunologistas, pneumologistas, pediatras e outros agentes de saúde de todos os lugares do mundo. Nossos convidados terão a oportunidade de visitar locais mais bonitos e famosos de Moscou como o Kremlin, o Quateirão Vermelho, o Hall de exposições de Manezh, o Teatro Bolshoi, o Museo de Artes Pushkin, a Catedral de Cristo Salvador, a Catedral de Vassily Abençoada, o complexo estatal Tretyakov Gallery, o Museo Panorama da Batalha de Borodino, o Convento Novodevichy e o Museo Memorial em Poklonnaya Gora.

Escrito pelo Professor Revaz Sepiashvili, MD, PhD
Presidente da Sociedade CIS de Alergologia e Imunologia
E-mail: info@wipocis.org


WAO Agora: O que há de novo no mundo da WAO

gloria logoA WAO em colaboração com o Colégio Americano de Alergia, Asma e Imunologia (ACAAI), está orgulhosa de anunciar nosso primeiro ano do Programa GLORIA nos Estados Unidos, que foi desenvolvido para promover a missão de ambas, WAO e ACAAI em otimizar os cuidados com alergia nos Estados Unidos.

Lançados neste outono, os módulos GLORIA serão apresentados em sociedades americanas regionais, estaduais e locais de alergia para créditos de educação médica continuada. Clique aqui se sua sociedade tiver interesse em solicitar este novo programa em 2007; o prazo final é 30 de Novembro.

Sedes em 2006

Forum de Alergia do Nordeste
29 de Setembro a 1 de Outubro, 2006
Tacoma, Washington
Expositor GLORIA:
Dr. Richard Lockey
Apresentações:
Módulo 7: Angioedema
Módulo 8: Anafilaxia

Sociedade de Alergia, Asma e Imunologia Clínica de Los Angeles, Inc.
21 de Outubro de 2006
Brentwood, California
Expositor GLORIA:
Dr. Michael Kaliner
Apresentação:
Módulo 8: Anafilaxia

Sociedade de Alergia de Broward Palm Beach
Novembro de 2006
Boca Raton, Florida
Expositor GLORIA:
Dr. Phil Lieberman
Apresentação:
Módulo 8: Anafilaxia

Forum de Alergia do Centro-Sul
Dezembro de 2006
Memphis, Tennessee
Expositor GLORIA:
Dr. Bob Lanier
Apesentação:
Módulo 4: Imunoterapia

Sociedade Grande Washington de Asma, Alergia e Imunologia
6 de Dezembro de 2006
Tyson's Corner Area, Virginia
Expositor GLORIA:
Dr. Michael Kaliner
Apresentação:
Módulo 8: Anafilaxia

Sociedade Indiana de Alergia e Imunologia
9 de Dezembro de 2006
Indianapolis, Indiana
Expositor GLORIA:
Dr. Ira Finegold
Apresentações:
Módulo 4: Imunoterapia
Módulo 5: Sintomas e Tratamento da Asma

Sociedades Emergentes se encontraram na América Latina

Encontro das Sociedades Emergentes em conjunto com o Colégio Americano de Alergia, Asma e Imunologia (ACAAI) e a WAO, ocorreu em 18 de Agosto de 2006 durante o Congresso Latino Americano de Alergia, Asma e Imunologia em Buenos Aires, Argentina. Os objetivos deste encontro foram facilitar o desenvolvimento de sociedades de alergia em regiôes onde elas não existem e melhorar os padrões para as existentes e melhorar os padrões de pesquisa.

Representantes de Sociedades Nacionais de Alergia da América Latina foram convidados a participar além de Sociedades que não integram formalmente a WAO. Eles foram convidados a apresentarem brevemente sobre a prática e estrutura dos serviços de alergia em seus países. Eles foram capazes de identificar as necessidades mais prementes relacionadas à educação em seus países e também encaminhar à WAO com uma lista de “desejos” dos serviços que eles gostariam de receber.

Apresentadores:

Nicaragua

Guiselle Urbina Palacios

Honduras

Claudia Almandarez Flores

El Salvador

Maria Emilia Castro Mendoza

Haiti/French Departments of America

Sylvie Lafosse-Marin

Guatemala

Ann-Michelle Rigalt

Novas sobre o Web Site da WAO

Estamos satisfeitos de anubciar o novo Caso Interativo baseado no Relato de Caso publicado no ACII-JWAO. "Paciente com unhas amarelas" é apresentado por Denise M. Kearney e Rchard F Lockey. Para ler a revisão e então fazer o9 diagnóstico e aprender com os especialistas, se você quiser, clique aqui.

Subscrição do Journal On-Line -

WAO e Hogrefe & Huber Publishers estão oferecendo um número limitado de subscrições on-line gratis do Allergy & Clinical Immunology International - Journal of the World Allergy Organization para membros em países em desenvolvimento. Se você estiver intressado em receber uma subscrição complementar, por favor envie e-mail para info@worldallergy.org, anotando "Free Journal Subscription" na linha do assunto e com os demais detalhes:

Primeiro nome
Último ano
Endereço postal
Cidade, Estado, Província e código postal
País
Endereço de E-mail
Nome da Sociedade Membro


E em outras novas

Revisão de Livros de Alergia

Mastócitos e Basófilos: Desenvolvimento, Ativação e Ações em Doenças Alérgicas e Autoimunes.
Por:
Novartis Foundation

Preço de lista: $145.00 USD
Disponível em: Wiley

Revisor:  
Mark C. Glaum, MD, PhD
Colégio de Medicina da Universidade do Sul da Flórida, Divisão de Alergia e Imunolgia

Descrição:
Este livro revê as pesquisas mais recentes sobre o papel dos mastócitos e basófilos em doenças alérgicas e autoimunes. Os temas revisados são seguidos por discussão entre especialistas internacionais em biologia dessas células.

Propósito:
O objetivo deste é prover a pesquisadores básicos ou clínicos com uma revisão concisa e atual sobre os fatores e mecanismos reguladores do crescimento, diferenciação e função dos mastócitos e basófilos. Este é um campo sempre envolvente e atualizações periódicas nesta área são necessárias. Ênfase é dada em novas tecnologias empregadas para estudar a função dos mastócitos e basófilos e atenção é focalizada em como observações científicas básicas podem ser transformadas em perspectivas terapêuticas.

Público alvo:
Discussão é o alvo de pesquisadores e clínicos que têm interesse na biologia de mastócitos e basófilos. Especialistas que muito porvavelmente utilizarão este livro incluem aleregistas, imunologistas clínicos, reumatologistas e dermatologistas. Estudantes de Clínica e Pesquisa também o classificarão como uma revisão excelente sobre mecanismos básicos de crescimento, diferenciação e ativação de mastócitos e basófilos.

Características:
Cada capítulo é apresentado sob o formato de revisão seguida por discussão específica do tópipco entre os panelistas. Discussão geral do material apresentado é incluída a cada 3 a 5 capítulos. Os tópicos incluem: desenvolvimento dos mastócitos e basófilos, ativação IgE-mediada de mastócitos e basófilos, mecanismos de exocitose, ativação de mastócitos e basófilos não mediada por IgE, descrição de mediadores incluindo os que são derivados de lipídeos, proteases, proteoglicanos e citocinas. Cada capítulo contém referências e participantes e índice individual são inclusos. O formato compacto do livro o torna fascilmente transportável.

Avaliação:
É revisão excelente sobre pesquisa atual na biologia de mastócitos e basófilos. As seções de discussão oferecem a opinião de especialistas  mundilamente reconhecidos nesta aérea. É fonte excelente de informações para cientistas básicos e que têm interesse em mastócitos e doenças relacionadas.


PARASITAS & ALERGIA
Editores:
Capron, M; Trottein, F

Preço de lista: $162.00 USD
Disponível em: Karger

Revisor:  
PETER DEBUSE FRACP, FRCP (LOND.)
ROYAL CHILDREN’S HOSPITAL, BRISBANE, AUSTRALIA

Descrição:
Desde os anos 80 a Hipótese da Higiene tem conduzido as explicações para o aumento das doenças alérgicas em países afluentes e a ausência de aumento nas comunidades em desenvolvimento. O conceito básico é que células T helper são estimuladas por infecções na infância e que se elas são um ponto de partida para estimulo de células T helper 2 em relação aos processos alérgicos. O processo alérgico é frequentemente considerado ter se desenvolvido largamente como medida de contar a infestação intestinal por prtozoários. Locais onde a infestação parasitária é alta, estudos epidemiológicos mostram que a incidência de doenças alérgicas é mais baixa do que em comunidades com baixa infestação parasitária.
Os editores reuniram 12 revisões que focalizam os mecanismos complicados de sinalização celular que estão envolvidos neste fenômeno e permitem aos autores discutir as anomalias na base da hipótese da higiene e especular sobre as implicações de doenças associadas a Th1 tais como doença intestinal inflamatória e diabetes tipo 1. Todos empregam a esquistossomose como exemplo em sua discussão provavelmente por causa da sua prevalência maciça e amplamente difundida no mundo em desenvolvimento. A biologia dos Helmintos intestinais é difundida não apenas em termos de ciclo de vida mas também em significância evolutiva.

Propósito:
Estas revisões oferecem atualização e discussão informativa sobre sinalização, proteases, e glicanos como moléculas promotoras, natureza das células brancas (natural killer, mastócitos e basófilos) e sobre células T regulatórias.

Público alvo:
Este livro fascinante livro agradará qualquer um que seja interessado em biologia. Alergistas e imunologistas, naturalmente, são o público alvo, mas médicos generalistas, clínicos e pediatras, poderão se interessar nas especulações sobre novos métodos de controle das doenças inflamatórias/alércias.

Características:
A abordagem multifacetada para divulgar a base molecular é bem organizada pelos Editores e há níveis de divulgação em detalhes e em boa parte com consenso. As tabelas e figuras são claras e as referências são numerosas.

Avaliação:
Livro excelente composto por mecanismos base das doenças alérgicas. Interessantemente, dados experimentais em roedores; animais domésticos maiores que são regularmente parasitados e são reservatório dos mesmos não são mencionados.

Encontre mais revisões de livros de alergia no Web site da WAO aqui.

A missão da World Allergy Organization é desenvolver uma aliança global de sociedades de alergia para fomentar a excelência no atendimento clínico, na pesquisa, na educação e no treinamento de profissionais. Visite-nos na Web em http://www.worldallergy.org/

Secretaria da World Allergy Organization (WAO)
555 E. Wells Street, Suite 1100
Milwaukee, WI 53202-3823
Email: info@worldallergy.org

Você recebeu esta mensagem porque é membro da WAO Member Society, está inscrito para receber a e-letter mensalmente ou fez contato anterior com a World Allergy Organization. Se não mais desejar receber mensagens da WAO, responda a esta mensagem escrevendo REMOVE na linha de assunto.

Possibilitado por subvenção irrestrita de Novartis.