WAO News and Notes - Medical Reviews
Volume 6, Issue 9 Revisãos - Setembro de 2009
Revisão de Revistas Médicas

Revistas por Juan Carlos Ivancevich, MD, em colaboração com Richard F. Lockey, MD, Editor Chefe da WAO Web.

1. Relação dose-resposta dos corticosteróides inalados (CSI) e cataratas
Esta revisão sistemática e meta-análise de quatro estudos de casos-controlo de cataratas e do uso de CSI incluiu um total de 46.638 casos e 146.378 controlos. O principal objectivo foi o de avaliar o risco de cataratas. Verificou-se uma relação significativa entre o risco de cataratas e a dose de CSI, com um aumento da razão de probabilidade de efeitos aleatórios para risco de cataratas por 1.000 µg de 1.25 na dose diária de beclometasona (95% IC: 1,14-1,37). O risco de cataratas aumentou em aproximadamente 25% por cada aumento de 1.000 µg diários na dose de beclometasona ou equivalente.
Comentário do Editor: Estes achados reforçam a importância de prescrever a menor quantidade de CSI para controlo da asma e de vigilância para a presença de cataratas em indivíduos com asma e DPOC.
Weatherall, M. et al., Dose-response relationship of inhaled corticosteroids and cataracts: A systematic review and meta-analysis, Respirology, 983-990, Publicado online a 2 de Agosto de 2009.
Abstract

2. Efeitos probióticos na incidência e duração dos sintomas de constipação e dos semelhantes aos da gripe (SSG) em crianças
Este estudo duplamente-cego e controlado por placebo em 326 crianças saudáveis (dos 3 aos 5 anos de idade) refere os efeitos do consumo de probióticos durante o Inverno. As crianças foram distribuídas aleatoriamente para receber placebo (n = 104), Lactobacillus acidophilus NCFM (North Carolina Food Microbiology) (n = 110), ou L acidophilus NCFM em combinação com Bifidobacterium animalis subsp lactis Bi-07 (n = 112), duas vezes por dia durante 6 meses. Os probióticos apenas ou em combinação, relativamente ao placebo, reduziram significativamente a incidência e a duração de febre, tosse e rinorreia, do uso de antibióticos e do absentismo escolar.
Comentário do Editor: O uso diário de suplementos dietéticos probióticos pode ser uma maneira segura e eficaz para reduzir os sintomas de constipação e de SSG em crianças dos 3 aos 5 anos de idade.
Leyer G. et al., Probiotic Effects on Cold and Influenza-Like Symptom Incidence and Duration in Children, Pediatrics, 124(2):e172-e179.
Abstract

3. Controlo inadequado da doença crónica e grave das vias aéreas superiores (DCGVAS)
A DCGVAS define doentes cujos sintomas são inadequadamente controlados apesar da aceitável eficácia e segurança do tratamento farmacológico baseado nas linhas de orientação. Estes doentes têm qualidade de vida, actividade social, sono e desempenho escolar/profissional deficientes. A rinite alérgica, a rinite não-alérgica, a rino-sinusite crónica, a doença respiratória exacerbada pela aspirina e as doenças ocupacionais das vias aéreas não-controladas graves são definidas como DCGVASs. O grupo de especialistas autores deste artigo defendem que as DCGVASs deviam ser consideradas diferentemente das doenças crónicas e ligeiras das vias aéreas. Revêem o estado da arte na literatura, salientando falhas de conhecimento, e propõem várias áreas para uma melhor compreensão, prevenção e gestão das DCGVASs.
Comentário do Editor: Este artigo poderá convencer a indústria farmacêutica a intensificar a investigação para as DCGVAS.
Bousquet J. et al., Unmet needs in severe chronic upper airway disease (SCUAD), JACI 24(3): 428-433.
Abstract

4. Obesidade, perímetro da cintura e prevalência da asma num estudo de grupo
Os autores reportam dados de 88.304 mulheres com mais de 18 anos de idade, que participaram no California Teachers Study. Colheram informação sobre medida da cintura, índice de massa corporal (IMC), diagnósticos de asma, hábitos tabágicos e outras variáveis, em 1995, 1997, 2000 e 2005. Das 88.304 mulheres, 11.500 eram obesas (IMC ≥ 30 kg/m²), em 1995, incluindo 1.334 que eram extremamente obesas (IMC ≥ 40 kg/m²). As mulheres que eram obesas no início do estudo tinham mais do dobro da tendência para terem asma do adulto, do que as mulheres com peso normal (IMC < 25 kg/m²); as extremamente obesas eram mais de três vezes mais susceptíveis a terem asma do adulto. As mulheres com perímetro da cintura superior a 88 cm tinham significativamente mais tendência para terem asma do adulto, do que as mais magras, mesmo quando tinham um IMC normal.
Comentário do Editor: Este artigo sugere uma associação entre obesidade e perímetro da cintura, mesmo com IMC normal, e prevalência da asma.
Von Behren J. et al., Obesity, Waist Size, and Prevalence of Current Asthma in the California Teachers Study Cohort, Thorax, Published online first: 25 August 2009.
Abstract

5. Hipocloreto de lixívia, sensibilização atópica e sintomas respiratórios no adulto
Este trabalho reporta 3.626 participantes do European Community Respiratory Health Survey II, em 10 países, que usaram lixívia como agente de limpeza doméstica e sobre quem havia dados disponíveis da IgE sérica específica a quarto alergénios ambientais. A informação quanto à frequência do uso da lixívia e aos sintomas respiratórios foi obtida através de entrevistas. Foram medidos os ácaros domésticos e os alergénios dos gatos nas poeiras dos colchões. Avaliaram-se as associações entre a frequência do uso da lixívia e os efeitos na saúde. O uso da lixívia esteve associado com um menor índice de sensibilização atópica (razão de probabilidade (RP) 0,75; 95% IC, 0,63-0,89). As relações dose-resposta (p < 0,05) foram aparentes para a frequência do uso da lixívia e os índices de sensibilização.
Comentário do Editor: As pessoas que limpam as suas casas com hipocloreto de lixívia têm menor probabilidade de serem atópicas mas maior tendência para terem sintomas respiratórios.
Zock J-P et al., Domestic use of hypochlorite bleach, atopic sensitization, and respiratory symptoms in adults, JACI, Publicado online a 10 de Agosto de 2009
Abstract

6. O stresse parental (SP) aumenta o efeito da poluição relacionada com o trânsito (PRT) na incidência da asma infantil
Estes investigadores identificaram 2.497 crianças dos 5 aos 9 anos de idade, sem história inicial de asma ou sibilos (2002-2003), que integraram um estudo prospectivo para investigar se um baixo estatuto socioeconómico ou um SP elevado modificavam o efeito da PRT e da exposição ao tabagismo in utero na asma de início recente. O principal resultado foi a informação parental do diagnóstico médico de asma de início recente durante 3 anos de follow-up. O risco de asma atribuível à PRT foi significativamente maior nos indivíduos com PS elevado (RP 1,51; 95% IC 1,16-1,96) do que com PS baixo (RP 1,05, 95% IC 0,74-1,49; p = 0,05). O stresse também esteve associado aos efeitos adversos do tabagismo in utero.
Comentário do Editor: Os resultados sugerem que as crianças provenientes de lares stressados são mais susceptíveis aos efeitos da PRT e do tabagismo in utero.
Shankardass K. et al., PNAS 106(30): 12406-12411.
Abstract

7. Arginase: Enzima-chave na fisiopatologia da asma alérgica
Estudos ex vivo e in vivo em modelos animais e em doentes asmáticos indicam que a arginase pode ter um papel central nas reacções obstrutivas brônquicas precoces e tardias induzidas por alergénios, na hiper-resposta das vias aéreas (HRVA), na inflamação e na remodelação das vias aéreas. A actividade aumentada da arginase nas vias aéreas induz biodisponibilidade reduzida de L-arginina para as sintetases do óxido nítrico (cNOS) e (iNOS), causando uma deficiência da bronco-dilatação e óxido nítrico anti-inflamatório, bem como formação aumentada de peroxinitrite, que pode estar envolvida na obstrução das vias aéreas induzida pelo alergénio, na HRVA e na inflamação. A produção reduzida de óxido nítrico, acentuou a síntese de L-ornitina, e a actividade da arginase aumentada pode promover proliferação celular e deposição de colagénio.
Comentário do Editor: Os inibidores da arginase podem ter um potencial terapêutico no tratamento da asma aguda e crónica.
Maarsingh H. et al., Arginase: a key enzyme in the pathophysiology of allergic asthma opening novel therapeutic perspectives, Br J Pharmacol. Publicado online a 24 de Agosto de 2009.
Abstract

8. A inflamação desencadeada por células T auxiliares tipo 2 define importantes subfenotipos da asma
Os autores classificaram indivíduos asmáticos com base na maior ou menor expressão genética induzida por IL-13 usando análises de microarray e PCR de escovado epitelial das vias aéreas de 42 doentes com asma ligeira a moderada e de 28 controlos saudáveis. Investigaram as implicações clínicas através da expressão de citocinas nas biópsias brônquicas, marcadores de inflamação e remodelação, resposta a corticosteróides inalados e reproducibilidade. Foram identificados dois subgrupos distintos, asma"Th2-alta" e "Th2-baixa", com diferenças significativas na expressão de IL-5 e IL-13 nas biópsias brônquicas e na hiper-resposta, IgE sérica, eosinofilia, fibrose subepitelial e expressão genética de mucina nas vias aéreas (todas p < 0,03). A eficácia dos corticosteróides inalados restringe-se à asma Th2-alta.
Comentário do Editor: Os actuais modelos não explicam adequadamente a asma não-desencadeada por Th2.
Woodruff P et al., T-helper Type 2-driven Inflammation Defines Major Subphenotypes of Asthma, Am J Respir Crit Care Med 180(5): 388-395.
Abstract

9. Situação alérgica de crianças em idade escolar com alergia a ovos, leite ou trigo na primeira infância
Os investigadores realizaram um levantamento em larga-escala da situação alérgica de crianças em idade escolar que evitavam a ingestão de ovos, leite ou trigo por terem tido uma reacção alérgica do tipo imediato com menos de um ano de idade. Foi distribuído um questionário aos pais de 14.669 crianças dos 7 aos 15 anos, em 30 escolas em Kyoto, no Japão. Responderam 13.215 (90,1%). Das crianças que tinham tido alergias na infância, 5,4% ainda evitavam alguns alimentos aos 7 anos e 3% aos 15. Mais de 80% ficaram tolerantes na idade escolar, mas a prevalência de asma brônquica, dermite atópica, rinite alérgica, conjuntivite alérgica e alergia alimentar era significativamente mais elevada neste grupo.
Comentário do Editor: Indivíduos que evitam determinados alimentos na primeira infância têm um maior risco de virem a sofrer de doenças alérgicas e de alergias a outros alimentos na idade escolar.
Kusunoki T. et al., Allergic status of schoolchildren with food allergy to eggs, milk or wheat in infancy, Pediatr Allergy Immunol, Publicado online a 21 de Agosto de 2009.
Abstract

10. Imunoterapia sublingual para ácaros domésticos - O papel da TGF-beta e da função das células T reguladoras
Foi feita uma investigação imunológica detalhada de imunoterapia sublingual para ácaros domésticos (HDM-SLIT) num estudo aleatório, duplamente-cego e controlado por placebo, com a duração de 12 meses, que incluiu 30 indivíduos alérgicos a ácaros domésticos, com extensão de um ano em 9 doentes submetidos a SLIT. A divisão das células T CD4+ induzida pelo alergénio e a produção de IL-5 diminuíram significativamente com SLIT. A sTGF-betaRII bloqueou a supressão da proliferação das células T específica do alergénio induzida pela imunoterapia, diminuiu a proliferação das células T CD4+ específica do alergénio e aumentou a secreção de IL-10 e Der p 2-específica IgG4. A função das células T reguladoras foi demonstrada por supressão da proliferação das células T efectoras específica do alergénio e pela produção de citocina. A SLIT diminuiu significativamente a pontuação dos sintomas de rinite, a pontuação total da asma e a pontuação Juniper da qualidade de vida.
Comentário do Editor: A TGF-beta media a supressão imunológica observada no início da eficácia clínica da HDM-SLIT. Aumenta, também, as células T reguladoras com função supressora.
O'Hehir R et al., House Dust Mite Sublingual Immunotherapy - The Role for TGF-beta and Functional Regulatory T Cells, Am J Respir Crit Care Med, Epub avançada: 20 de Agosto de 2009.
Abstract

Crítica de Livro Médico

Urticária e Angioedema, Segunda Edição
Allen P. Kaplan, Malcolm W. Greaves (Editores)
Informa Healthcare, 2009
ISBN: 9781420077841
Preço: $299.00 USD
Disponível em: Barnes and Noble

Crítico:
Roger W. Fox, MD
Professor de Medicina e Pediatria
University of South Florida College of Medicine
Division of Allergy
Tampa, Florida USA

Descrição
Este livro de 455 páginas, intitulado "Urticária e Angioedema", tem 25 capítulos. As autoridades internacionais e os autores revêem os mecanismos básicos e as interacções celulares envolvidas neste espectro de patologias que se manifestam como urticária e angioedema, e como as diagnosticar e tratar.

Propósito
Um compêndio abrangente de útil conhecimento clínico sobre urticária e angioedema.

Audiência
Todos os especialistas e profissionais de cuidados de saúde que atendem doentes com estas patologias.

Características
Os capítulos revêem o conhecimento essencial necessário à compreensão da fisiopatologia das diferentes formas de urticária e de angioedema, bem como da sua avaliação clínica e terapêutica.

Avaliação
Este livro de texto é essencial para qualquer médico que, por rotina, avalia e trata doentes com estas patologias, particularmente para alergologistas/imunologistas e dermatologistas.

A missão da World Allergy Organization é ser um recurso e patrono global no campo da alergia, ampliando a excelência do atendimento clínico por meio de ensino, pesquisa e treinamento como uma aliança mundial de sociedades de alergia e imunologia clínica. Visite-nos na Web no endereço www.worldallergy.org

World Allergy Organization (WAO)
Secretaria
555 E. Wells Street, Suite 1100
Milwaukee, WI 53202-3823
Email: info@worldallergy.org

Você está recebendo esta mensagem por ser membro de uma sociedade membro da WAO, porque se inscreveu para receber a e-letter mensal ou teve contato anterior com a World Allergy Organization. Se você preferir não receber mais mensagens da WAO, responda esta mensagem com REMOVE na linha de assunto.

Possível graças a fundo educacional irrestrito da Novartis.
novartis

E com apoio de subsídio educativo irrestrito do EAMG.

EAMG