wao logo


WAO News & Notes

Revisão dos Jornais Médicos de Setembro
WAO Hoje: O que há de novo no mundo de WAO
E em Outras Novas.....

Revisão dos Jornais Médicos Mundiais de Setembro

O Prof. Richard F. Lockey, Editor Chefe da Web-WAO, revisou os principais artigos publicados nos jornais médicos de Setembro, para alergistas práticos.

1. ATIVIDADE ANTI-INFLAMATÓRIA DA IMUNOGLOBULINA G (IgG) RESULTANTE DA SIALIZAÇÃO DO FRAGMENTO Fc
IgG tem atividades pró- e anti-inflamatória via a ligação do seu fragmento Fc (Fc) com recpetores Fcγ distintos (FcγRs). Algumas interações do Fc-FcγR geram efeitos pró-inflamatórios de complexos imune e anticorpos citotóxicos, entretanto, em contraste, a terapêutica com IVIG e seus fragmentos Fc são antiinflamatórios. Os autores demonstraram que a IgG adquire atividade antiinflamatória com a sialização do Fc, que é reduzida pela indução de resposta imune antígeno específica. Esta sialização diferencial pode prover desvio da atividade antiinflamatória inata no estado basal para gerar efeitos pró-inflamatórios adaptativos frente o desencadeamento por alérgeno. Este estudo sugere que outro tipo de diferença entre moléculas de anticorpos determinados pela seqüência de oligossacarídeos acoplados podem ser crucial para a função do anticorpo. Comentários do Editor: O meio de açúcares ligados ao fragmento Fc da IgG altera sua atividade. Este conhecimento pode ser útil no delineio de terapêuticas com IVIG. É pesquisa inovadora e excitante que merece atençaõ de todos os alergistas/imunologistas. Kaneko Y, et al. Science 2006; 313: 670. Editorial by Burton DR, Dwek RA, p. 627.

2. MASTÓCITOS (MC) PODEM AUMENTAR A RESISTÊNCIA A VENENO DE COBRAA E DE ABELHA
Tem sido proposto que a ativação de MC pelo veneno de cobra e de abelha pode contribuir para a maior morbidade e mortalidade. Entretanto, os autores demonstraram que MC podem reduzir de modo significante a doença induzida por veneno de cobra em camundongos pelo menos em parte pela liberação de carboxipeptidase A e possivelmente outras proteases que degradam componentes do veneno. MC também reduziu significantemente a morbidade e mortalidade pelo veneno de abelha. Comentários do Editor: Mediadores de MC podem ser benéficos e prejudiciais para o hospedeiro. Metz M, et al. Science 2006; 313: 526.

3. EFEITOS DE ANTAGONISTA DE RECEPTORES DE LEUCOTRIENO (LTRA) SOBRE O LEUCOTRIENO E4 EXALADO (LTE4) E PROSTANOIDES EM CRIANÇAS COM ASMA
Este estudo aberto com montelucaste oral (5 mg uma vez ao dia por 4 semanas) em 17 crianças atópicas com asma e 16 sem asma para avaliar os efeitos de LTRA sobre o LTE4 exalado e prostanoides em crianças com asma vs controles. Os níveis de LTE4 exalado pré-tratamento (P < 0,0001) e de 8-isoprostano (P < 0,0001) eram maiores entre os asmáticos do que entre os não asmáticos. O montelucaste reduziu o LTE4 exalado em 33% (P < 0,001) nos pacientes com asma e a redução se correlacionou com os níveis pré-tratamento de LTE4 (r = -0,90; P = 0,0001). O montelucaste não teve efeito sobre o LTE4 exalado em crianças atópicas sem asma ou sobre o 8-isoprostano exalado e de PGE2 no mesmo grupo. As concentrações de óxido nítrico (NO) foram reduzidas em 27% após o montelucaste no grupo com asma. Comentários do Editor: Este método é capaz de identificar pacientes que são mais responsivos aos LTRAs? Talvez! Montuschi P, et al. J Allergy Clin Immunol 2006; 118: 347.

4. DURAÇÃO DA REDUÇÃO DE FEL d 1 AEROTRANSPORTADO APÓS A LAVAGEM DO GATO
Doze gatas fêmeas adultas americanas de pelo curto e médio foram lavados pela técnica de imersão (imersos em água corrente até o nível da cabeça, seguido por massagem da pele por 3 minutos, seguido por imersão de 3 minutos em água fresca e a seguir secos em toalha) para determiner a duração da redução de Fel d 1 após a lavagem do gato. Essas lavagens resultaram em diminuição nos níveis de Fel d 1 de 4- a 5-vezes durante a coleta por 3 horas, com retorno ao basal um dia após a lavagem. Os autores concluem que a lavagem resulta em redução significante de Fel d 1, mas foram de curta duração. É pouco provável que essa medida tomada por donos de gatos determine melhora significante nos sintomas alérgicos com esse método de controle ambiental. Comentários do Editor: Indivíduos alérgicos a gatos devem eliminá-los de seus lares. Nageotte C, et al. J Allergy Clin Immunol 2006; 118: 521.

5. AUSÊNCIA DE EFEITO DE PROBIÓTICOS SOBRE A DERMATITE ATÓPICA (DA) NA INFÂNCIA: ESTUDO RANDOMIZADO E CONTROLADO POR PLACEBO
Neste estudo randomizado, duplo-cego e controlado por placebo, avaliou-se os efeitos clínicos e imunológicos de duas cepas de bactérias em probióticos sobre a DA na infância. Após período basal de 4-6 semanas e desencadeamento duplo cego controlado por placebo para diagnosticar alergia à proteína do leite de vaca (APLV) e 4 a 6 semanas de basal os lactentes menores de 5 meses com DA receberam hidrolisado, fórmula de leite de vaca como placebo (n = 17) ou hidrolisado, fórmula de leite de vaca suplementada com Lactobacillus rhamnosus (n = 17) ou Lactobacillus GG (n = 16) por 3 meses. Apenas 4 lactentes foram diagnosticados como tendo APLV e não houve efeito imunológico dos probióticos. Comentários do Editor: A controvérsia sobre os probióticos no tratamento de DA continua. Brouwer ML, et al. Clin Exp Allergy 2006; 36: 899.

6. INSENSIBILIDADE RELATIVA A CORTICOSTERÓIDE POR CÉLULAS MONONUCLEARES DO SANGUE PERIFÉRICO (CMN) NA ASMA GRAVE
CMN de pacientes com asma grave (n = 16), conforme definido pela American Thoracic Society, foram comparados a asma não-grave (n = 19) e voluntários normais (n = 10) para determinar a supressão da liberação de citocinas induzida por lipoplissacáride (LPS) pela dexametasona (D). Liberação espontânea ou estimulada de citocinas foi similar em todos os grupos, entretanto, a liberação LPS-induzida de IL-1β (P < 0,03), IL-8 (P < 0,03), e proteína 1α inflamatória de macrófago (MIP-1α) (P < 0,003) foi menos suprimida por D na asma grave. Este fenômeno foi associado à redução da atividade de histona deacetilase (P < 0,01), determinante importante da resposta inflamatória e da resposta de corticosteróides que em paralelo prejudica a sensibilidade ao corticosteróide (CS). Comentários do Editor: Sensibilidade diminuída de CS na asma grave afeta CMN. Hew M, et al. Am J Respir Crit Care Med 2006; 174: 134.

7. TERAPÊUTICA COM CORTICOSTERÓIDES SISTÊMICOS (CS) NAS EXACERBAÇÕES AGUDAS DE ASMA
Este é um bom resumo sobre o manuseio da asma aguda com CS. Os autores orientam pela administração precoce de corticosteróide IV, IM ou oral na primeira hora de chegada ao service de emergência mostrou reduzir o número de admissões em 60%. Eles apontam não haver evidência clara para sustentar qualquer uma das vias de administração de CS sobre qualquer outra e que as doses em meta-análise de nove estudos demonstrou que doses >80mg/dia de metilprednisolona ou seu equivalente não oferecem vantagens terapêuticas no manejo inicial da asma aguda grave. Comentários do Editor: Excelente artigo de revisão sobre o uso de CS para exacerbações graves de asma. Fiel SB, Vincken W. J of Asthma 2006; 43: 321.

8. CITOCINAS OU SEUS ANTAGONISTAS NO TRATAMENTO DA ASMA
Esta revisão é sobre várias citocinas ou seus antagonistas como possíveis tratamentos para asma. O uso de anticorpos monoclonais humanos contra a IL-5 e o receptors solúvel recombinanrte de IL-4 não demonstraram ser bem sucedidos em pacientes com asma persistente. Nem a administração de citocinas com potencial atividade antiinflamatória como a IL-12 e interferon-γ. O fator de necrose tumoral a (TNFα) é importante na persistência da inflamação e em pacientes com asma grave dependente de esteróides. O receptor solúvel para TNFα (anti-TNFα) demonstrou resultados promissores. Comentários do Editor: A citocina mágica ou seus antagonistas ainda precisam ser descobertos, entretanto, o anti-TNFα mostrou-se promissor na asma grave. O’Byrne PM. Chest 2006; 130: 244

9. OBESIDADE E ASMA
Obesidade leva a doença metabólica e cardiovascular e pode aumentar os riscos de asma. Experimentos animais sugerem que a resposta inflamatória da via aérea está aumentada pela leptin endógena e exógena, que está aumentada em seres humanos obesos e é também o mediador central da inflamação na obesidade. Estudos de coorte prospectiva e seccionais em humanos mostrou aumento discreto da incidência e prevalência de asma em indivíduos obesos, entretanto, a massa corporal não parece ser um modificador significante da gravidade. Comentários do Editor: A obesidade parece aumentar a incidência e a prevalência de asma. Beuther DA et al. Am J Respir Crit Care Med 2006; 174: 112.

10. ERVAS PARA O TRATAMENTO DA DPOC: REVISÃO SISTEMÁTICA
Esta é uma revisão de 14 estudos clínicos randomizados de 14 diferentes medicamentos de ervas. As conclusões são que a efetividade dos medicamentos de ervas no tratamento da DPOC não está estabelecido, há dúvidas razoáveis e a evidência dos estudos clínicos randomizados é escarsa e freqüentemente com falhas metodológicas. Comentários do Editor: A combinação de agente beta agonista de longa duração e brometo de ipratrópio é o tratamento de escolha para a DPOC. Guo R, et al. Eur Respir J 2006; 28: 330.


WAO Hoje: O que há de novo no mundo de WAO

WAO e Sociedade Japonesa de Alergologia

A WAO e a Sociedade Japonesa de Alergologia apresentarão uma sessaõ conjunta cujo tema será: Novas tendências no tratamento de doenças alérgicas, durante o 56º Encontro Anual da Sociedade Japonesa de Alergologia.

Quinta feira, 2 de Novembro de 2006
9:00 a.m. ‑ 11:30 a.m.
Fórum Internacional de Tóquio

Coordenadores: Michael A. Kaliner e Takemasa Nakagawa

  • "Novas tendências no tratamento da Asma, Rinite e Sinusite"
    Michael A.Kaliner
  • "Necessidades não atingidas e falta de resposta no tratamento da alergia e asma: da não-aderência à farmacogenética"
    Lanny J.Rosenwasser
  • "Do ARIA à InterAirways"
    Jean Bousquet


KAAACI-WAO Congresso Conjunto 2006 & 0 9º WPAS

O Congresso conjunto 2006 da Academia Coreana de Asma, Alergia e Imunologia Clínica e WAO e o 9º Simpósio de Alergia do Pacífico Oeste se realizarão em Seul, Corea de 3 a 5 de Novembro de 2006, no Grand Hilton Seoul.

WAO está entusiasmada em compartilhar com a KAAACI e WPAS e está satisfeita que muitos membros do Board de Diretores da WAO participarão como palestrantes convidados nos Congressos. O programa científico aborda aquisições das mais significativas em pesquisa clínica e básica em alergia e imunologia clínica, e Seul será uma nova sede muito excitante para receber cientistas e dividir essas tecnologias e idéias de ponta.

Apresentações do Board da WAO:

  • "Classificação da rinite alérgica na vida real"
    G. Walter Canonica
  • "Rinite alérgica: doença remodelando as vias aéreas superiors?"
    Paul B. Van Cauwenberge
  • "Alergia ocular: implicações para o imunologista clínico"
    Connie H. Katelaris
  • "Manejo global da rinite, sinusite e asma: o que há de novo?"
    Michael A. Kaliner
  • "Posicionando o anticorpo anti-IgE na asthma"
    Bob Q. Lanier
  • "O impacto da rinite sobre a asma brônquica"
    Ruby Pawankar
  • "Avaliação funcional de subclasses de IgG patogênicas na urticária crônica auto-imune"
    Allen P. Kaplan
  • "Novos aspectos dos antihistamínicos em alergias cutâneas"
    F. Estelle R. Simons
  • "Inibição da inflamação induzida pelo VRS empregando-se a técnica de siRNA"
    Richard F. Lockey
  • "Farmacogenética dos corticosteróides inalados"
    Lanny J. Rosenwasser
  • "WHO-GARD: A aliança global contra doernças respiratórias crônicas"
    Jean Bousquet
  • "Temas quentes em doenças alérgicas"
    Takeshi Fukuda

Clique aqui para mais informações.

wafWorld Allergy Forum

O manejo de emergências alérgicas é a principal tarefa dos alergistas em todo o mundo. Asma, anafilaxia e angioedema serão revisados durante o próximo World Allergy Forum Simpósio, agendado pata domingo, 12 de Novembro de 2006 –às 8:30 às 10:00 hs no Encontro Científico Anual do American College of Allergy, Asthma and Immunology (ACAAI), no Centro de convenções da Pensilvânia, Salão AB na Filadélfia, PA, USA.

Michael A. Kaliner, Presidente da WAO moderará este programa com palestrantes internacionais renomados.  


bankokCongresso Mundial de Alergia 2007
2-6 de Dezembro de 2006
Bangcoc, Tailândia
'Questões Globais em Alergia: Respostas para Problemas de Todo o Mundo'
Emergências Alérgicas

Asma aguda e grave
Bob Q. Lanier, Instituto do Norte do Texas de Pesquisa Clínicas,
Fort Worth, Texas, USA

Anafilaxia: Causas e Tratamentos
Ruby Pawankar, Escola Japonesa de Medicina
Tóquio, Japão

Angioedema
Michael A. Kaliner, Instituto de Asma e Allergia
Wheaton, Maryland, USA


Nova Conversação com WAO

Ouça Dr. Sally Wenzel dividir seus conhecimentos sobre o que faz um asmático grave ser diferente e como ajustá-los no manejo desses pacientes refratários.

Subscrição de Jornal On-Line -

WAO e Hogrefe & Huber Publishers oferecem número limitado de suscrições on-line grátis do Allergy & Clinical Immunology International - Journal of the World Allergy Organization para membros de países em desenvolvimento. Se você estiver interessado em receber a subscrição on-line grátis, por favor mande e-mail a info@worldallergy.org, anotando "Free Journal Subscription" no assunto da mensagem, com os seguintes dados:

Primeiro nome
Último nome
Endereço postal
Cidade, Estato, e código posta
País
E-mail:
Nome da Sociedade Membro


E em outras Novas

Revisões sobre Livros de Alergia

Mastócitos em doenças alérgicas. Imunologia Química e Alergia. Vol. 87
Editores: Saito, H.; Okayama, Y.
Karger Basel 2005

Preço de lista: $178.25 USD
Disponível em: Karger

Revisor:  
Ron Walls MD, PhD
Universidade de Sidnei, Sidnei, NSW, Austrália

Descrição:
Mastócitos foram originariamente descritos por Paul Ehrlich no século 19, e o seu papel na resposta alérgica imediata é bem conhecido. A sua importância na reação alérgica foi discutida em debate ocorrido no maior encontro de Alergia realizado há vários anos e onde os mastócitos ou células T eram as células mais importantes na reação alérgica! Menos conhecida é a sua importância em outros aspectos de reações imunológicas incluindo a imunidade inata, angiogênese e remodelamento. Os mastócitos são derivados de progenitores hematopoiéticos da medula óssea, mas passam sua vida como células efetoras teciduais.

Propósito:
Este livro foi desenhado para trazer consigo os trabalhos mais recentes com mastócitos desde o seu desenvolvimento até as suas funções fisiológicas. Os contribuidores são trabalhadores ativos na área e trazem a informação mais atual de suas contribuições. A informação é detalhada, mas apresentada sob a forma de leitura agradável.  

Audiência:
Esse volume sera de maior valor para aqueles que trabalham ativamente no campo da investigação ou prática clínica terciária ou aqueles que estão envolvidos no ensino da imunologia e biologia e precisam de fonte atualizada de informações sobre essas células interessantes além da sua área imediata de interesse.

Características:
Há acesso compreensivo da regulação do desenvolvimento dos mastócitos e sua ativação. Segue-se descrição detalhada de fatores de mastócitos e receptores e seus papéis em condições imunológicas e alérgicas. Sua localização em feixes de musculatura lisa da via aérea caracteriza a asma. Seu papel na hiperplasia da musculatura lisa da via aérea e no remodelamento da via aérea na asma e o seu envolvimento na rinite alérgica são bem abordados. O modelo de camundongos “mast cell knock-in” e sua contribuição para entender as reações de fase tardia e inflamação alérgica crônica são bem abordados. As espécies diferentes destas células são destacadas, e os dados não podem ser extrapolados de camundongo para mastócitos humanos. Este é um dos fatores que tem feito o estudo destas células difícil.

Avaliação:
A temática é apresentada de modo claro, mesmo para não-especialista, e embora seja um livro de vários autores, a qualidade das apresentações é uniformemente elevada. É um conjunto de conhecimentos atuais sobre essa fascinante célula, não apenas nas reações de hipersensibilidade imediata, como também em outros aspectos da resposta imune. O livro pode ser recomendado a pesquisadores, professores e clínicos que necessitem acesso a material atualizado de alto nível científico, e a estudantes envolvidos em cursos de pós-graduação em imunologia ou alergia. É uma aquisição importante à biblioteca pessoal de estudantes sérios e deveria estar disponível como referência em bibliotecas e em departamentos de pesquisa clínica.
 

Livro texto sobre Distúrbios do Sistema Imunológico (Segunda Edição)
Editado por: Joyce Brennfleck Shannon

Lista de preço: $78,00 USD
Disponível: Omnigraphics

Revisor:  
Roger W. Fox, MD
Universidade de Ciências da Saúde do Sul da Flórida, Tampa, FL, USA

Descrição:
O texto é um compêndio de revisões breves em cada um dos 86 capítulos com informações sobre o básico em saúde de muitas doenças do sistema imunológico. Eles incluem a função e resposta do sistema imunológico, diagnóstico de distúrbios imunes, informação sobre doenças imunes herdadas, doenças imunes adquiridas e doenças de autoimunidade. O livro cobre amplo espectro de doenças relacionadas ao sistema imunológico tais como imunodeficiências primárias, síndrome da imunodeficência adquirida, Lupus, esclerose múltipla, diabetes tipo 1, artrite reumatóide e doença de Graves. Tratamentos e características clínicas de indivíduos com doenças imunológicas são discutidas. Um descritivo de valor é apresentado no Capítulo 86, e fornece informação e auxílio para pacientes com distúrbios imunes assim como a seus familiares.

Propósito:
Este texto serve como fonte de revisão rápida sobre grande variedade de doenças imunológicas para pacientes e agentes de saúde.

Audiência:
Este livro texto sobre distúrbios do sistema imune deveria ser encontrado em muitas livrarias públicas e de medicina como fonte importante de auxílio para indivíduos e grupos específicos de auxílio. Consultórios médicos poderiam prover este texto a pacientes e a seus familiares para o conhecimento geral sobre problemas imunológicos e como fonte de informações on-line sobre várias doenças.

Características:
O livro tem lista de organizações envolvidas em doenças do sistema imunológico, com endereço completo, telefone, FAX e websites.

Avaliação:
Este livro é um excelente texto fonte para bibliotecas e para agentes de saúde, ainda mais para grupos de apoio e defensores de pacientes que poderão achá-lo muito útil para informação médica e para identificar organizações nacionais com foco em distúrbios imunológicos específicos.

Encontre mais sobre revisões de livros no Website da WAO aqui.

A missão da Organização Mundial de Alergia é construir uma aliança global de sociedades de alergia para atingir excelência na prática clínica, pesquisa, educação e treinamento. Visite-nos na Web em http://www.worldallergy.org/

World Allergy Organization (WAO)
Secretaria
555 E. Wells Street, Suite 1100
Milwaukee, WI 53202-3823
Email: info@worldallergy.org

Você recebeu esta mensagem porque é membro de uma Sociedade Membro da WAO, subscreveu a e-letter mensal ou tinha contato prévio com a WAO. Se você preferir não receber novas mensagens da WAO, favor responder esta mensagem com REMOVE na linha do assunto.

Tornado possível graças a bolsa educacional irretrita de Novartis.