Contact WAO | e-News Sign Up | Site Map | Home  
World Allergy Organization
WAO's mission: To be a global resource and advocate in the field of allergy, advancing excellence in clinical care through education, research and training as a world-wide alliance of allergy and clinical immunology societies.

Revisão de Revistas Médicas

Agosto de 2011

 

Todos os meses, neste serviço para os Membros da WAO e outros leitores, os Editores seleccionam artigos publicados recentemente nas principais revistas médicas no âmbito da imunoalergologia pela sua importância para os médicos que cuidam de doentes com asma e doenças alérgicas/imunológicas. Esta é a selecção deste mês dos artigos revistos por Juan Carlos Ivancevich, MD, Editor-in-Chief da WAO Web e Phillip Lieberman, MD, Reviews Editor da WAO.

 

1. Base molecular da especificidade do antagonista do receptor H1 de histamina.

Shimamura T, Shiroishi M, Weyand S et al. Structure of the human histamine H1 receptor complex with doxepin. Nature 2011; 475(7354):65-70. Abstract

Comentário do Editor: O conhecimento exacto de como a histamina e os seus antagonistas se ligam aos receptores H1 a nível molecular pode facilitar o projecto das antihistaminas de "terceira geração", que têm potencial para maior eficácia com menos efeitos secundários.

 

2. O papel da epigenética na alergia alimentar proporciona alguma percepção dos mecanismos etiológicos e biológicos da doença.

Tan THT, Ellis JA, Saffery R et al. The role of genetics and environment in the rise of childhood food allergy. Clinical & Experimental Allergy 2011; early view; doi: 10.111/j.1365-2222.2011.03823.x. Abstract.

Comentário do Editor: Esta é uma excelente revisão do actual estado do conhecimento dos factores genéticos e ambientais com impacto no risco de desenvolvimento de alergia alimentar. Esta revisão resume o papel desempenhado pela epigenética.

 

3. O poder do placebo e da terapia sham na percepção dos doentes. Não se observou diferença na melhoria da resposta a albuterol vs. placebo e terapia sham, embora apenas o albuterol tenha melhorado a função pulmonar. 

Wechsler ME, Kelley JM, Boyd IOE et al. Active Albuterol or Placebo, Sham Acupuncture, or No Intervention in Asthma. New England Journal of Medicine 2011; 365(2):119-126. Preview

Comentário do Editor: Nos estudos da asma é difícil determinar se as respostas a tratamentos com placebo são diferentes das alterações fisiológicas naturais que ocorrem sem tratamento. Por esta razão, talvez seja necessário incluir um grupo de controlo com pessoas não tratadas nos estudos de terapias para asma. O broncodilatador de albuterol inalado produz uma significativa e mensurável melhoria da função pulmonar e proporciona um bom modelo para avaliação dos efeitos placebo na asma .

 

4. A Comissão de Segurança para os Meios de Contraste da European Society of Urogenital Radiology procedeu a uma revisão da literatura sobre reacções adversas tardias ao iodo intravascular e à actualização das linhas de orientação.

Bellin MF, Stacul F, Webb JAW et al. Late adverse reactions to intravascular iodine based contrast media: an update. European Radiology 2011; online first; doi: 10.1007/s00330-011-2200-9. Abstract

Comentário do Editor: Os testes epicutâneos e cutâneos de leitura tardia podem ser úteis para confirmar a etiologia e, possivelmente, o mecanismo de produção das reacções cutâneas tardias ao meio de contraste. Estes testes podem também clarificar os padrões de reactividade cruzada entre diferentes agentes de contraste.

 

5. O componente inflamatório sistémico na asma neutrofílica.

Baines KJ, Simpson JL, Woodet LG et al. Systemic upregulation of neutrophil {alpha}-defensins and serine proteases in neutrophilic asthma. Thorax 2011; online first; doi: 10.1136/thx.2010.157719. Abstract

Comentário do Editor: A avaliação do componente inflamatório sistémico em asmáticos pode permitir a distinção entre os fenotipos da asma neutrofílica e outros e melhorar a nossa compreensão dos diferentes mecanismos subjacentes.

 

6. Ocorrência simultânea de duas doenças supostamente antagonistas, psoríase e eczema atópico.

Eyerich S, Onken AT, Weidinger S et al. Mutual Antagonism of T Cells Causing Psoriasis and Atopic Eczema. New England Journal of Medicine 2011; 365(3):231-238. Preview

Comentário do Editor: Os autores descrevem 3 doentes em que foram encontradas subpopulações distintas de células T infiltrando o mesmo órgão: células Th1 e Th17 em psoríase e células Th2 em eczema atópico.

 

7. Rinite alérgica: Frequentemente ignorada, subdiagnosticada, mal diagnosticada e mal tratada.

Greiner AN, Hellings PW, Rotiroti G et al. Allergic rhinitis. The Lancet 22 July 2011; early online publication; doi: 10.1016/S0140-6736(11)60130-X. Abstract

Comentário do Editor: Revisão excelente, concisa e abrangente do nosso conhecimento actual da rinite alérgica.

 

8. O prurido crónico, localizado, ou mesmo generalizado é o contraste diagnóstico da dermite atópica.

Hong J, Buddenkotte J, Berger TG et al. Management of itch in atopic dermatitis. Seminars in Cutaneous Medicine and Surgery 2011; 30(2):71-86. Abstract

Comentário do Editor: Revisão completa sobre como podemos ajudar os nossos doentes a controlar o prurido da dermite atópica.

 

9. Efeitos inibidores da apocinina na inflamação das vias aéreas pulmonares num modelo murino de asma.

Kim SY, Moon KA, Jo HY et al. Anti-inflammatory efeitos of apocynin, an inhibitor of NADPH oxidase, in airway inflammation. Immunology and Cell Biology 28 June 2011; advanced online publication; doi: 10.1038/icb.2011.60. Abstract

Comentário do Editor: A apocinina como inibidor eficaz de oxidases NADPH poderia ser candidata ao tratamento de doenças inflamatórias pulmonares relacionadas com o stresse oxidativo.

 

10. Controlo actual ou a longo-prazo da asma para avaliar os resultados do tratamento da doença.

Koster ES, Raaijmakers JAM, Vijverberg SJH et al. Limited agreement between current and long-term asthma control in children: the PACMAN cohort study. Pediatric Allergy and Immunology 2011; early view; doi: 10.1111/j.1399-3038.2011.01188.x. Abstract

Comentário do Editor: A compatibilidade entre o controlo da asma a curto e a longo prazos é limitada, pelo que é importante avaliar o controlo da asma por um período de tempo mais longo, tanto na investigação como na prática clínica.

 

11. Interacções genéticas com o sexo e os seus efeitos no risco de asma na infância.

Loisel DA, Tan Z, Tisler CJ et al. IFNG genotype and sex interact to influence the risk of childhood asthma. Journal of Allergy and Clinical Immunology 2011 28(3):524-531. Abstract

Comentário do Editor: Os polimorfismos de IFNG estão associados com a ocorrência de asma na infância relacionada com o sexo. O efeito destes polimorfismos foi limitada a crianças que tiveram sibilância devido a infecções virais respiratórias nos primeiros 3 anos de vida.

 

12. O extracto de ácaros domésticos afecta o comportamento das células do músculo liso brônquico dos doentes asmáticos.

Miglino N, Roth M, Tamm M et al. House dust mite extract downregulates C/EBPα in asthmatic bronchial smooth muscle cells. European Respiratory Journal 2011; 38(1):50-58. Abstract

Comentário do Editor:  Os ácaros domésticos podem provocar uma resposta inflamatória e induzir remodelação das vias aéreas como resultado duma acção directa nas células pulmonares, independentemente do compartimento imunológico.

 

13. Avaliação de doentes com rinite alérgica local a múltiplos alergénios sensibilizantes.

Rondón C, Campo P, Herrera R et al.  Nasal allergen provocation test with multiple aeroallergens detects polysensitization in local allergic rhinitis. Journal of Allergy and Clinical Immunology 25 July 2011; online ahead of print; doi: 10.1016/j.jaci.2011.06.012 Abstract

Comentário do Editor: Um teste de provocação nasal com múltiplos alergénios foi útil na diferenciação entre rinite alérgica local e rinite não-alérgica e na identificação de doentes monossensibilizados e polissensibilizados.

 

14. Relação entre os níveis de IgA salivar e sibilância de início tardio em crianças.

Sandin A, Björkstén B, Böttcher MF et al. High salivary secretory IgA antibody levels are associated with less late-onset wheezing in IgE-sensitized infants. Pediatric Allergy and Immunology 2011; 22(5):477-481. Abstract

Comentário do Editor: Este estudo apoia o efeito protector dos anticorpos salivares IgA no desenvolvimento de sintomas asmáticos em crianças.

 

15. Acentuado desequilíbrio nos rácios de Th1/Th2 e Th17/Treg em doentes com asma alérgica.

Shi YH, Shi GCh, Wan HY et al. Coexistence of Th1/Th2 and Th17/Treg imbalances in patients with allergic asthma. Chinese Medical Journal 2011; 124(13):1951-1956. Full text

Comentário do Editor: Os autores observaram uma resposta exagerada das células Th17 e uma deficiência nas células Treg em doentes com asma alérgica moderada a grave. Tanto a gravidade como o controlo da asma podem ser afectados pelo desequilíbrio das células Th17/Treg.