Contact WAO | e-News Sign Up | Site Map | Home  
World Allergy Organization
WAO's mission: To be a global resource and advocate in the field of allergy, advancing excellence in clinical care through education, research and training as a world-wide alliance of allergy and clinical immunology societies.

Revisão de Revistas Médicas

Outubro de 2011

 

Selecção de artigos publicados recentemente nas principais revistas médicas no âmbito da imunoalergologia revistos por Juan Carlos Ivancevich, MD, Editor-in-Chief da WAO Web e Phillip Lieberman, MD, Reviews Editor da WAO.

 

1. Novas determinantes farmacogenéticas da resposta a glucocorticóides inalados.

Tantisira KG, Lasky-Su J, Harada M, Murphy A, Litonjua AA et al.  Genomewide Association between GLCCI1 and Response to Glucocorticoid Therapy in Asthma. New England Journal of Medicine 2011; 365:1173-1183. Preview

Comentário do Editor: Um polimorfismo de nucleótido único (PNU) funcional, rs37973, que diminui a expressão de GLCCI1, um gene que influencia a resposta farmacológica aos glucocorticóides inalados, causa uma resposta diminuída a estes fármacos em asmáticos.

 

2. Rinosinusite crónica associada a biofilme de Staphylococcus aureus.

Foreman A., Holtappels G., Psaltis AJ, Jervis-Bardy J, Field J, Wormald PJ, Bachert C. Adaptive immune responses in Staphylococcus aureus biofilm–associated chronic rhinosinusitis. Allergy 2011; 66(11):1449-1456. Abstract

Comentário do Editor: Este interessante estudo demonstra uma associação entre a presença de biofilmes de estafilococos e a resposta TH2 imune na rinosinusite crónica, confirmando um pressuposto anterior. São necessários mais estudos para clarificar a natureza desta relação causal.

 

3. O papel causal da sensibilização alérgica na sibilância induzida por vírus e o desenvolvimento da asma

Jackson DJ, Evans MD, Gangnon RE, Tisler CJ, Pappas TE et al. Evidence for a Causal Relationship Between Allergic Sensitization and Rhinovirus Wheezing in Early Life. American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine 2011; published online ahead of print on September 29, 2011 as doi.10.1164/rccm.201104-0660OC. Abstract

Comentário do Editor: Usando um modelo longitudinal num grupo de nascimentos bem caracterizado, os autores demonstraram claramente que a sensibilização alérgica aumenta o risco de sibilância induzida por rinovírus (HRV). Para provar definitivamente a causalidade seria necessário prevenir ou modificar a sensibilização alérgica no início da vida e demonstrar um menor risco de posterior sibilância HRV.

 

4. Aplicação da medição dos níveis de óxido nítrico exalado na prática clínica.

Dweik RA, Boggs PB, Erzurum SC, Irvin CG, Leigh MW et al and on behalf of the American Thoracic Society Committee on Interpretation of Exhaled Nitric Oxide Levels (FENO) for Clinical Applications. An Official ATS Clinical Practice Guideline: Interpretation of Exhaled Nitric Oxide Levels (FENO) for Clinical Applications. American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine 2011; 184: 602-615. Abstract

Comentário do Editor: Um guia prático desenvolvido pela American Thoracic Society sobre a utilidade das medições de FENO nas doenças inflamatórias das vias aéreas.

 

5. TNF liberto pelas células dendríticas tolerogénicas CD11+CD8+ e desenvolvimento de tolerância a alergénios de contacto.

Luckey U, Maurer M, Schmidt T, Lorenz N, Seebach B, Metz M, Steinbrink K et al. T cell killing by tolerogenic dendritic cells protects mice from allergy. Journal of Clinical Investigation 2011; 121(10): 3860 Abstract

Comentário do Editor: Estes interessantes achados experimentais clarificam uma via para a indução de tolerância na dermite alérgica de contacto, a doença profissional mais frequente.

 

6. A mais elevada prevalência de asma em jovens diabéticos.

Black MH, Anderson A, Bell RA, Dabelea D, Pihoker C et al. Prevalence of asthma and its association with glycemic control among youth with diabetes. Pediatrics 2011; 128(4):  e839-e847. Abstract

Comentário do Editor: As inflamações sistémicas podem resultar numa complexa relação entre a função pulmonar, o índice de massa corporal e o controlo glicémico nos jovens com diabetes. Em doentes com diabetes tipo I, a asma pode estar associada a controlo glicémico deficiente, especialmente se a asma não for tratada.

 

7. Associação da etnia negra e da ancestralidade africana com o risco de aumento da sensibilização a alimentos.

Kumar, R Tsai HJ, Hong X, Liu Xin, Wang G et al. Race, ancestry, and development of food-allergen sensitization in early childhood. Pediatrics 2011; 128(4): e821-e829. Abstract

Comentário do Editor: Neste estudo de crianças multiétnicas em área urbana observou-se  uma associação da etnia negra e da ancestralidade africana com um maior risco de sensibilização a alimentos, especialmente a amendoins. Continua por determinar se esta diferença está associada a índices mais elevados de reactividade clínica.

 

8. Papel dos suplementos alimentares antioxidantes nas epidemias de alergias e de asma.

Zaknun D, Schroecksnadel S, Kurz Ket, Fuchs Deitmar. Potential Role of Antioxidant Food Supplements, Preservatives and Colorants in the Pathogenesis of Allergy and Asthma. International Archives of Allergy and Immunology 2012; 157(2): 113-124. Abstract

Comentário do Editor: Esta revisão propõe que as elevadas doses de antioxidantes, preservativos e corantes adicionados aos suplementos alimentares possam ter um papel importante no aumento significativo da incidência de alergias e de asma observado nas últimas décadas.

 

9. Relação entre dermite atópica, asma e mutações na filagrina.

Irvine AD, Irwin McLean WH, Leung DYM. Filaggrin Mutations Associated with Skin and Allergic Diseases. New England Journal of Medicine 2011; 365: 1315-1327. Preview

Comentário do Editor: Excelente revisão sobre mutações na filagrina citando evidência de que essas mutações podem aumentar o risco de desenvolvimento de numerosas patologias incluindo dermite atópica (que afecta 42% de todos os portadores de mutações), alergia de contacto, asma, febre dos fenos e alergia a amendoins, e influenciar a gravidade da asma, da alopécia areata e da susceptibilidade à infecção herpética.

 

10. Evidência da eficácia clínica e tolerabilidade das antihistaminas-H1 de segunda geração.

Kavosh ER, Khan DA. Second-Generation H1-Antihistamines in Chronic Urticaria: An Evidence-Based Review. American Journal of Clinical Dermatology 2011; 12(6): 361-376. Abstract

Comentário do Editor: Uma revisão da eficácia clínica e tolerabilidade das antihistaminas de segunda geração com base na evidência disponível nos Estados Unidos para tratamento da urticária crónica. Os autores usaram o sistema GRADE para desenvolver a força das recomendações.

 

11. A exposição fetal ao tabagismo materno continuado durante a gravidez está associada ao risco aumentado de sibilância em crianças em idade pré-escolar.

Duijts L, Jaddoe VWV, van der Valk RJP, Henderson JA, Hofman A et al. Fetal exposure to maternal and paternal smoking and the risks of wheezing in preschool children. The Generation R Study. Chest 2011; published online before print September 29, 2011, doi: 10.1378/chest.11-0112. Abstract

Comentário do Editor: A associação do tabagismo materno durante a gravidez e a sibilância em crianças em idade pré-escolar não ficou explicada pela exposição pós-natal a tabagismo nem pela pequenez para a idade gestacional à nascença.

 

12. Ensaios de proteína C reativa de alta sensibilidade em crianças asmáticas com diferentes graus de gravidade e controlo.

Deraz TE, Kamel TB, El-Kerdany TA, El-Ghazoly HMA. High-sensitivity C reactive protein as a biomarker for grading of childhood asthma in relation to clinical classification, induced sputum cellularity, and spirometry. Pediatric Pulmonology 2011; Early view, September 29, 2011, doi: 10.1002/ppul.21539. Abstract

Comentário do Editor: A proteína C reactiva de alta sensibilidade pode ser considerada um novo marcador relativamente não-invasivo para diferentes graus de gravidade e controlo da asma e pode ser usada na detecção indirecta e vigilância das inflamações das vias aéreas, gravidade da doença e resposta ao tratamento com esteróides em crianças asmáticas.

 

13. Relação entre FEF25-75 e hiperreactividade brônquica (HRB) e a capacidade de previsão da HRB numa população pediátrica.

Ciprandi G, Tosca MA, Capasso M. Forced expiratory flow between 25 and 75% of vital capacity might be a predictive factor for bronchial hyperreactivity in children with allergic rhinitis, asthma, or both. Allergy and Asthma Proceedings 2011; 32(5): e22-e28(7). Abstract

Comentário do Editor: Os baixos valores de FEF25-75 podem sugerir BHR em crianças. Os valores diminuídos de FEF25-75 podem ser indicadores de BHR grave em crianças, principalmente se tiverem rinite alérgica.

 

14. Potencial terapêutico da inibição de IL-5 com um anticorpo monoclonal humanizado na polipose nasal grave.

Gevaert P, Van Bruaene N, Cattaert T, Van Steen K, Van Zele T et al. Mepolizumab, a humanized anti–IL-5 mAb, as a treatment option for severe nasal polyposis. Journal of Allergy and Clinical Immunology 2011; Article in press, 29 September 2011; doi: 10.1016/j.jaci.2011.07.056. Abstract

Comentário do Editor: O mepolizumab administrado a doentes com rinosinusite crónica grave e pólipos nasais produziu uma redução significativa do tamanho dos pólipos em 12 dos 20 doentes, confirmada por imagiologia TC.

 

15. Um em cada três doentes com asma que usam glucocorticóides inalados podem não beneficiar deste tratamento.

Drazen JM. A Step toward Personalized Asthma Treatment. New England Journal of Medicine 2011; 365: 1245-1246.

Abstract

Comentário do Editor: Um excelente editorial no NEJM que aborda a medicina personalizada utilizando dois estudos recentes sobre o tratamento da asma para ilustrar o seu potencial benefício.