Contact WAO | e-News Sign Up | Site Map | Home  
World Allergy Organization
WAO's mission: To be a global resource and advocate in the field of allergy, advancing excellence in clinical care through education, research and training as a world-wide alliance of allergy and clinical immunology societies.

Revisões WAO – A Escolha dos Editores

Maio de 2012

Traduzido por Carlos A. Ferreira Nunes, MD
Portimao, Portugal

Os artigos são seleccionados, pela sua importância para os médicos que cuidam de doentes com asma e doenças alérgicas/imunológicas, por Juan Carlos Ivancevich, MD, Editor-in-Chief da WAO Web e Phillip Lieberman, MD, Reviews Editor da WAO.

1. Argumentos que sugerem que a imunidade alérgica tem um papel importante na defesa do hospedeiro contra substâncias ambientais nocivas.

Palm NW, Rosenstein RC, Medzhitov R. Allergic host defences. Nature 2012; 484(7395): 465–472. Publicado online em 25 de Abril de 2012, doi:10.1038/nature11047.

Visualização

Comentário do Editor: Num interessante artigo de revisão, os autores propõem que a reactividade alérgica pode fornecer um importante mecanismo de defesa que proteja o hospedeiro de, pelo menos, quatro classes diferentes de desafios ambientais, incluindo: helmintes, xenobióticos nocivos, venenos e fluidos hematófagos e irritantes ambientais.

2.  Broncoconstrição induzida por ar quente em asmáticos.

Hayes D Jr, Collins PB, Khosravi M, Lin R-L, Lee L-Y. Bronchoconstriction triggered by breathing hot humid air in asthmatics: role of cholinergic reflex. American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine 2012; Publicação avançada online 13 de Abril de 2012, doi: 10.1164/rccm.201201-0088OC.

Resumo

Comentário do Editor: A hiperventilação de ar quente e húmido desencadeou tosse e broncoconstrição reflexa em doentes com asma ligeira. Estes efeitos foram mediados pelo reflexo colinérgico, o que sugere que os nervos sensoriais das vias aéreas, presumivelmente as fibras-C broncopulmonares, são activados por uma subida da temperatura nos tecidos das vias aéreas.

3.  Papel potencial da auto-reactividade na patogenia da dermite atópica (DA).

Tang TS, Bieber T, Williams HC. Does “autoreactivity” play a role in atopic dermatitis? The Journal of Allergy and Clinical Immunology, 2012; 129(5): 1209-1215.e2.  

Texto completo

Comentário do Editor: Os autores fizeram uma revisão sistemática de estudos indexados na MEDLINE e encontraram 31 experiências que descrevem a auto-reactividade em doentes com dermite atópica (DA). Os autores sugerem que a auto-reactividade pode ter uma relação causal na DA baseada na magnitude e na especificidade das associações observadas.

4.  Papel do excesso de peso como factor de comorbilidade da asma na infância.

Mahut B, Beydon N, Delclaux C. Overweight is not a comorbidity factor during childhood asthma: the GrowthOb study. European Respiratory Journal 2012; 39(5): 1120-1126, doi: 10.1183/​09031936.00103311.

Resumo

Comentário do Editor: Este estudo transversal mostrou que as relações ligeiras entre os índices funcionais nos testes de função pulmonar e o excesso de peso, enquanto características da asma, não se alteraram com o excesso de peso numa população pediátrica. Estas alterações não foram específicas da asma.

5.  Primeira actualização das Canadian Thoracic Society Asthma   Guidelines após novo processo de desenvolvimento de directrizes.

Lougheed MD, Lemiere C, Ducharme FM, Licskai C, Dell SD et al.  Canadian Thoracic Society 2012 guideline update: Diagnosis and management of asthma in preschoolers, children and adults. Canadian Respiratory Journal 2012; 19(2): 127-164.

Texto completo, PDF

Comentário do Editor: As recomendações das directrizes actualizadas destacam um papel dos eosinófilos na expectoração para guiar o ajustamento da terapia de controlo. Foi também feita uma avaliação da evidência que ajudasse a seleccionar a terapia adjuvante aos corticosteróides inalados (CSI) e a sugerir a que dose de CSI se deve iniciar a terapia adjuvante em crianças e em adultos com controlo deficiente da asma. Por fim, os autores reviram as novas recomendações para o ajustamento da medicação de controlo e identificaram as áreas prioritárias para futura investigação.

6.  Um fenotipo epitelial accionado por Th2 comum a todas as crianças com rinite alérgica causada por ácaros domésticos.

Giovannini-Chami L, Marcet B, Moreilhon C, Chevalier B, Illie MI et al. Distinct epithelial gene expression phenotypes in childhood respiratory allergy. European Respiratory Journal 2012; 39(5): 1197-1205. doi: 10.1183/​09031936.00070511

Resumo

Comentário do Editor:  Os autores estabeleceram assinaturas de expressão genética usando escovado nasal de crianças com rinite alérgica causada por ácaros domésticos, associada ou não com asma bem controlada ou com controlo deficiente. O seu objectivo foi o de identificar vias epiteliais que estão desreguladas em diferentes fenotipos das alergias respiratórias. Os autores observaram um fenotipo epitelial accionado por Th2 em crianças com rinite alérgica causada por ácaros domésticos que as distinguiam dos controlos. Puderam, também, distinguir a asma bem controlada vs. asma com controlo deficiente com 75% de rigor usando estas técnicas.

7.  Identificação de variantes genéticas associadas com o início precoce da asma  na criança.

Forno E, Lasky-Su J, Himes B, Howrylak J, Ramsey C et al. Genome-wide association study of the age of onset of childhood asthma. The Journal of Allergy and Clinical Immunology  2012; Article in press, Publicado online   4 de Maio de 2012, 10.1016/j.jaci.2012.03.020.

Resumo

Comentário do Editor: Os autores publicaram o primeiro estudo de associação pangenómica da idade do início da asma em crianças e verificaram que 2 polimorfismos de nucleótido único (SNPs) —rs9815663 e rs7927044— estavam significativamente associados com uma idade mais precoce do início da asma numa análise combinada de 4 grupos diferentes.

8.  Impossibilidade de fazer quaisquer recomendações para o uso de glucocorticóides no tratamento da anafilaxia.

Choo KJL, Simons FER, Sheikh A. Glucocorticoids for the treatment of anaphylaxis. Cochrane Database of Systematic Reviews 2012; Issue 4, Article CD007596, Publicação avançada online , 18 de Abril de 2012, doi:10.1002/14651858.CD007596.pub3.

Abstract

Comentário do Editor: Os autores fizeram uma revisão sistemática da literatura sobre o uso de esteróides no tratamento de urgência da anafilaxia, não tendo encontrado nenhum ensaio controlado e aleatório sobre este assunto. Os autores concluíram que não há evidência de estudos de qualidade que apoiem o uso de esteróides no tratamento de urgência da anafilaxia, pelo que não podem apoiar nem refutar o uso destes fármacos para este fim.

9.  Impacto multidimensional da rinite alérgica na qualidade de vida relacionada com a saúde em crianças.

Mir E, Panjabi C, Shah A. Impact of allergic rhinitis in school going children. Asia Pacific Allergy 2012; 2(2): 93-100. doi.org/10.5415/apallergy.2012.2.2.93

Resumo

Comentário do Editor: Os autores concluíram que a rinite alérgica em crianças tem um impacto significativo na qualidade de vida, afecta negativamente a família e prejudica o processo de aprendizagem, particularmente nas crianças em idade escolar, para quem o tratamento atempado e apropriado poderia talvez evitar a imensa morbilidade que se observa nesta doença.

10.  Salbutamol em aerossol vs. combinação budesonida/formoterol num inalador único para a exacerbação aguda da asma ligeira a moderada num serviço de urgência.

Chew KS, Kamarudin H, Hashim CW. A randomized open-label trial on the use of budesonide/formoterol (Symbicort®) as an alternative reliever medication for mild to moderate asthmatic attacks. International Journal of Emergency Medicine 2012; 5(1): 16. doi:10.1186/1865-1380-5-16

Texto completo, Acesso aberto

Comentário do Editor: Este estudo aberto e aleatório demonstrou que tanto o salbutamol em aerossol como a combinação budesonida/formoterol num inalador único produziram melhorias clínicas objectivas e subjectivas nos primeiros 15 minutos. Apesar das fragilidades metodológicas, este estudo pode abrir caminho para estudos    mais extensos que confirmem se a combinação budesonida/formoterol pode ser usada como alternativa nas exacerbações asmáticas.