Contact WAO | e-News Sign Up | Site Map | Home  
World Allergy Organization
WAO's mission: To be a global resource and advocate in the field of allergy, advancing excellence in clinical care through education, research and training as a world-wide alliance of allergy and clinical immunology societies.

Revisões WAO – Escolha do Editor

Junho 2012

Traduzido por Luis Miguel Borrego, MD, PhD
Lisboa, Portugal

Os artigos são selecionados pela sua importância para os clínicos que assistem doentes com asma e com doenças alérgicas/imunológicas pelo Dr Juan Carlos Ivancevich, Web Editor Chefe da WAO, e pelo Dr Phillip Lieberman, Editor das revisões da WAO. 

1. Mecanismos subjacentes à cronicidade na inflamação alérgica

Masuoka M, Shiraishi H, Ohta S, Suzuki S, Arima K et al. Periostin promotes chronic allergic inflammation in response to Th2 cytokines. The Journal of Clinical Investigation 2012; doi:10.1172/JCI58978

Texto completo, Acesso gratuito

Comentário do Editor: Os autores, utilizando o modelo animal da inflamação cutânea, demonstraram que a periostina, uma proteína matricelular recentemente descrita, é um mediador crítico para a amplificação e persistência da inflamação alérgica.

2. Impacto do diagnóstico e racional contra as guidelines da alergia às proteínas do leite de vaca (DRACMA) no processo de decisão terapêutica na alergia às proteínas do leite de vaca

Terracciano L, Schünemann H, Brożek J, Agostoni C, Fiocchi A, on behalf of the DRACMA Implementation Committee, World Allergy Organization. How DRACMA changes clinical decision for the individual patient in CMA therapy. Current Opinion in Allergy & Clinical Immunology 2012; 12(3): 316–322. (doi: 10.1097/ACI.0b013e3283535bdb)

Abstract

Comentário do Editor: Os autores descrevem a experiência da aplicação das guidelines DRACMA em todo o Mundo, durante 2 anos. As variações no perfil socioeconómico dos doentes com alergia às proteínas do leite de vaca e o seu contexto, podem modificar a aplicação das recomendações das DRACMA.

3. Aumento da expressão de IL-19 no epitélio de doentes com rinossinusite crónica e pólipos nasais

Pace E, Scafidi V, Di Bona D, Siena L, Chiappara G et al. Increased expression of IL-19 in the epithelium of patients with chronic rhinosinusitis and nasal polyps. Allergy 2012; 67(7): 878–886.

Abstract

Comentário do Editor: Estudos dos genes de asma por “array” demonstraram que existe uma sobre regulação do gene da IL-19, com confirmação pela técnica de PCR em tempo real,  com aumento da expressão do gene da IL-19 em doentes com rinossinusite crónica com pólipos nasais (CRSwNP) em comparação com indivíduos saudáveis. Para além disso, existe um aumento da expressão da proteína IL-19 no epitélio de doentes com CRSwNP em comparação com indivíduos saudáveis.

4. Variação individual na resposta antiviral ao nascimento determina o risco de doença respiratória aguda no primeiro ano de vida

Sumino K, Tucker J, Shahab M, Jaffee KF, Visness CM et al. Antiviral IFN-γ responses of monocytes at birth predict respiratory tract illness in the first year of life. The Journal of Allergy and Clinical Immunology 2012; 129(5): 1267-1273.e1.

Abstract

Comentário do Editor: A diminuição da produção de IFN-γ pelos monócitos na resposta à infeção pelo vírus sincicial respiratório ao nascimento está associada a um aumento da frequência de infeções do trato respiratório superior e da prevalência de otite e sinusite, pneumonias, e de hospitalizações por doença respiratória no primeiro ano de vida.

5. As crianças atópicas estão depletadas de elementos específicos da microbiota intestinal

Candela M, Rampelli S, Turroni S, Severgnini M, Consolandi C et al. Unbalance of intestinal microbiota in atopic children. BMC Microbiology 2012; 12:95, doi:10.1186/1471-2180-12-95.

Texto completo, PDF Provisório

Comentário do Editor: A diminuição de simbiontes imunomoduladores chave no trato gastrointestinal, bem como o aumento correspondente na abundância relativa de Enterobacteriaceae pro-inflamatórias, suportam a desregulação imune do hospedeiro atópico. Uma vez que esta disbiose relacionada com atopia da microbiota intestinal pode contribuir para a gravidade da doença, o tratamento da atopia pode ser facilitado pelo recondicionamento destes distúrbios microbiológicos.

6. Comparação entre a exposição alergénica na escola e em casa num cohort de crianças com asma

Permaul P, Hoffman E, Fu C, Sheehan W, Baxi S et al. Allergens in urban schools and homes of children with asthma. Pediatric Allergy and Immunology 2012; Early View (doi: 10.1111/j.1399-3038.2012.01327.x)

Abstract

Comentário do Editor: Os níveis de alergénios do rato nas escolas são significativos e a aerossolização dos alergénios do rato nas escolas pode constituir uma exposição clinicamente significativa para os alunos. Os autores concluem que são necessários mais estudos para avaliar o efeito da exposição a alergénios indoor nas escolas.

7. Reações de hipersensibilidade a vacinas comuns e a escolha de vacinas para os doentes com suspeita de hipersensibilidade

Leventhal JS, Berger EM, Brauer JA, Cohen DE. Hypersensitivity reactions to vaccine constituents: a case series and review of the literature. Dermatitis 2012; 23(3): 102-109. (doi: 10.1097/DER.0b013e31825228cf)

Abstract

Comentário do Editor: Os autores reportam três casos de reações de hipersensibilidade cutânea retardada a vacinas que contêm alumínio e apresentam uma revisão dos constituintes major das vacinas que podem causar reações de hipersensibilidade imediatas e tardias. Os autores incluem uma tabela Food and Drug Administration – com as vacinas aprovadas, listando as quantidades dos seus componentes major incluindo ovalbumina (proteína do ovo), gelatina, alumínio, neomicina, 2-fenoxietanol, timerosal e formaldeído.

8. Comparação dos mediadores nasais e do padrão citocínico entre a Rinite Alérgica Persistente (PAR) e a Rinite Não Alérgica com eosinofilia (NARES)

Gröger M, Klemens C, Wendt S, Becker S, Canis M et al. Mediators and Cytokines in persistent allergic rhinitis and nonallergic rhinitis with eosinophilia syndrome. International Archives of Allergy and Immunology 2012; 159(2): 171-178. (doi: 10.1159/000336169)

Abstract

Comentário do Editor: Em doentes com NARES e PAR, os eosinófilos e mastócitos parecerem ser as células mais importantes para a inflamação, o que se encontra refletido nos elevados níveis de triptase e ECP bem como IL-5 e GM-CSF. Os elevados níveis de citocinas pró-inflamatórias na NARES, especialmente IL-17, são o reflexo de um processo crónico auto-perpetuado, de inflamação e remodelling nos quais a infiltração neutrofílica pode ter um papel.

9. As crianças residentes em zonas urbanas têm uma maior prevalência de alergia alimentar que as crianças residentes em zonas rurais.

Gupta RS, Springston EE, Smith B, Warrier MR, Pongracic J, Holl JL. Geographic variability of childhood food allergy in the United States. Clinical Pediatrics 2011; published online before print, doi: 10.1177/0009922812448526.

Texto Completo, Gratuito

Comentário do Editor: Nos centros urbanos, 9.8% das crianças têm alergia alimentar, comparados com 6.2 % nas comunidades rurais. A alergia ao amendoim e a alergia ao marisco foram duas vezes mais frequentes nos centros urbanos, com cerca de 40% das crianças com alergia alimentar tendo tido uma reação grave com risco de vida.

10. Identificação dos fatores associados aos outcomes da asma ocupacional

Maestrelli P, Schlünssen V, Mason P, Sigsgaard T, on behalf of the ERS Task Force on the Management of World-related Asthma. Contribution of host factors and workplace exposure to the outcome of occupational asthma. European Respiratory Review 2012; 21(124): 88-96. (doi:10.1183/09059180.00004811)

Texto Completo, Gratuito

Comentário do Editor: Esta revisão sistemática da literatura estabelece que o aumento da idade, agentes de alto peso molecular, alteração da função respiratória e uma maior exposição ao agente agressor na altura do diagnóstico têm um papel negativo no outcome da asma ocupacional.