Contact WAO | e-News Sign Up | Site Map | Home  
World Allergy Organization
WAO's mission: To be a global resource and advocate in the field of allergy, advancing excellence in clinical care through education, research and training as a world-wide alliance of allergy and clinical immunology societies.

Revisões WAO – Escolha do Editor

Agosto 2012

Traduzido por Luis Miguel Borrego, MD, PhD
Lisboa, Portugal

Os artigos são selecionados pela sua importância para os clínicos que assistem doentes com asma e com doenças alérgicas/imunológicas pelo Dr. Juan Carlos Ivancevich, Web Editor Chefe da WAO, e pelo Dr. Phillip Lieberman, Editor das revisões da WAO. 

1.  Qual a relação entre alergia e auto-imunidade?

Bogiatzi SI, Guillot-Delost M, Cappuccio A, Bichet J-C, Chouchane-Mlik O et al. Multiple-checkpoint inhibition of thymic stromal lymphopoietin–induced TH2 response by TH17-related cytokines. The Journal of Allergy and Clinical Immunology 2012; 130(1): 233-240.e5

Abstract

Comentário do Editor: Os autores descobriram que as citocinas relacionadas com as células TH17 são reguladores negativos da resposta imune da linfopoetina tímica estromal. Este fato pode explicar a diminuição da frequência de alergia em doentes com auto-imunidade e sugere novos meios de manipular as respostas pro-alérgicas.

2.  A evicção de alergénios no primeiro ano de vida é eficaz na prevenção de asma?

Scott M, Roberts G, Kurukulaaratchy RJ, Matthew S, Novel A, Arshad SH.  Multifaceted allergen avoidance during infancy reduces asthma during childhood with the effect persisting until age 18 years. Thorax 2012; doi:10.1136

Abstract

Comentário do Editor: Os autores demonstraram que um regime de evicção alergénica em lactentes de alto risco reduz o aparecimento de asma durante a infância. Este é o único estudo de prevenção primária da asma que mostrou uma correlação positiva na infância.

3.  Guidelines da World Allergy Organization Guidelines para anafilaxia

Simons, FER, Ardusso LRF, Bilò, MB, Dimov V, Ebisawa M et al for the World Allergy Organization. 2012 Update: World Allergy Organization Guidelines for the assessment and management of anaphylaxis. Current Opinion in Allergy & Clinical Immunology 2012; 12(4): 389–399.

Abstract

Comentário do Editor: As guidelines da World Allergy Organization (WAO) para a abordagem e seguimento dos doentes com anafilaxia, publicadas no início de  2011 providenciam uma perspetiva global sobre os fatores de risco do doente, estímulos, diagnóstico clínico, tratamento e prevenção da anafilaxia. Os autores fizeram uma revisão sobre a investigação clinica relevante mais recente nesta área.

4.  Associação entre o eczema na infância e o aparecimento de asma e rinite mais tarde na vida na criança

von Kobyletzki LB, Bornehag C-G, Hasselgren M, Larsson M, Lindström CB, Svensson Å. Eczema in early childhood is strongly associated with the development of asthma and rhinitis in a prospective cohort. BMC Dermatology 2012; 12:11. Posted July 2012. doi:10.1186/1471-5945-12-11.

PDF Provisório

Comentário do Editor: Este estudo sueco de cohort populacional, prospetivo, documentou que a existência de eczema precocemente na infância estava fortemente associada com o desenvolvimento de asma e rinite durante os primeiros 5 anos de vida. O eczema apresentou-se como um dos mais importantes fatores de risco independentes. Crianças com manifestação precoce de eczema, moderado a severo, e com eczema persistente, apresentavam maior probabilidade de vir a desenvolver asma e rinite.

5.  Recomendações para o diagnóstico e tratamento em caso de suspeita de alergia às proteínas do leite de vaca (APLV) na Europa

Koletzko S, Niggemann B, Arato A, Dias JA, Heuschkel R et al. Diagnostic approach and management of cow's-milk protein allergy in infants and children: ESPGHAN GI Committee Practical Guidelines. Journal of Pediatric Gastroenterology & Nutrition 2012; 55(2): 221–229.

Abstract

Comentário do Editor: Estas recomendações apresentam uma abordagem prática, com um algoritmo de diagnóstico, e assentam em guidelines baseadas na evidência para APLV, recentemente publicadas. É dado um ênfase particular às manifestações gastrointestinais, e ao papel das ferramentas de diagnóstico e procedimentos de eliminação/provocação

6.  Resultados preliminares de uma cohort bem caracterizada de adultos com asma grave refractária

Sweeney J, Brightling CE, Menzies-Gow A, Niven R, Patterson CC, Heane LG, on behalf of the British Thoracic Society Difficult Asthma Network. Clinical management and outcome of refractory asthma in the UK from the British Thoracic Society Difficult Asthma Registry. Thorax 2012; 67(8): 754-756.

Texto Completo, Acesso Gratuito

Comentário do Editor: Esta avaliação evidencia uma melhoria da condição clínica com menores taxas de exacerbação e de recorrência a cuidados de saúde, contudo, à custa de um aumento no número de indivíduos a fazer tratamento com esteróides sistémicos. Nos doentes que respondem ao omalizumab, parece existir em alguns indivíduos, mas não em todos, um efeito redutor significativo nos esteróides.

7.  Efeitos do Vírus Sincicial Respiratório (VSR) em diferentes aspetos da resposta imune

Lotz MT and Stokes Peebles Jr. R. Mechanisms of Respiratory Syncytial Virus Modulation of Airway Immune Responses. Current Allergy and Asthma Reports 2012; 67(8): 754-756. doi:10.1007/s11882-012-0278-z

Texto Completo, Gratuito

Comentário do Editor: Este artigo de acesso livre revê o efeito duradouro do VSR através da alteração da resposta imune, e o VSR como um indicador das diferenças inerentes ao sistema imune de um indivíduo, que o deixam não apenas vulnerável a infeções graves por VSR, mas também a outras condições respiratórias crónicas (i.e., sibilância recorrente e asma).

8.  O papel-chave da predisposição genética e dos fatores ambientais, incluindo microrganismos, no desenvolvimento da dermatite atópica (AD)

Pastuszka M, Matych M, Kaszuba A, Poznanska-Kurowska K, Kaszuba A. Microorganisms in the etiopathogenesis of atopic dermatitis. Postępy Dermatologii i Alergologii 2012; 29(3): 215–221.

Texto Completo, Gratuito

Comentário do Editor: Os autores fizeram a revisão do papel de diferentes microrganismos na etiopatogénese da AD, incluindo S. aureus, espécies de M., espécies de Candida e Herpes simplex.

9.  O superantigénio enterotoxina B (SEB) do S. aureus tem um papel no desenvolvimento da marcha atópica envolvendo a imunidade IL-17

Yu J, Oh MH, Park J-U, Myers AC, Dong C, Zhu Z, Zheng T. Epicutaneous Exposure to Staphylococcal Superantigen Enterotoxin B enhances allergic lung inflammation via an IL-17A Dependent Mechanism. PLoS ONE 2012; 7(7): e39032.

Texto Completo, Acesso Gratuito

Comentário do Editor: Os resultados desta interessante investigação sugerem que a colonização forte crónica da pele por S. aureus produtores de enterotoxina em doentes com dermatite atópica pode ter um papel importante no desenvolvimento da marcha atópica através de um mecanismo IL-17 dependente.

10. Susceptibilidade a sibilância induzida por rinovírus (HRV) e a exacerbações de asma em crianças alérgicas

Durrani SR, Montville DJ, Pratt AS, Sahu S, DeVries MK. Innate immune responses to rhinovirus are reduced by the high-affinity IgE receptor in allergic asthmatic children. The Journal of Allergy and Clinical Immunology 2012; 130(2): 489-495.

Abstract

Comentário do Editor: Os autores identificaram um mecanismo que pode ligar a asma alérgica na infância com deficientes respostas anti-virais. Aumento da expressão e do cross-link do receptor de alta afinidade para a IgE, FcεRI, anteriores à infeção por HRV inibem a secreção de IFN- α e IFN-λ1 por PBMCs.

11.    Efeito de exercícios de aeróbica nas avaliações celulares, moleculares e funcionais de adultos com asma leve a moderada

Boyd A, Yang CT, Estelle K, Tuggle C, Gerald LB et al. Feasibility of exercising adults with asthma: a randomized pilot study. Allergy, Asthma & Clinical Immunology 2012; 8:13. doi:10.1186/1710-1492-8-13

Abstract Provisório

PDF Provisório

Comentário do Editor: Os resultados deste estudo piloto sugerem que a prática de aeróbica de intensidade moderada podem melhorar o controlo da asma e a condição física, na ausência de exacerbações de asma em adultos asmáticos. A forte adesão ao protocolo de exercícios demonstra a viabilidade do protocolo, na preparação de um ensaio clínico maior, que irá testar os efeitos do exercício físico nas medições celulares, moleculares e funcionais de avaliação da resposta asmática.

12. Dados disponíveis indicam que o omalizumab é uma droga efetiva e bem tolerada na urticária crónica resistente a anti-histamínicos

Metz M, Maurer M. Omalizumab in chronic urticaria. Current Opinion in Allergy & Clinical Immunology 2012; 12(4): 406–411.

Texto Completo, Gratuito

Comentário do Editor: Esta revisão mostra que 50% dos doentes com urticária crónica espontânea e uma grande proporção de doentes com urticária induzida, como a urticária solar ou a urticária ao frio, são resistentes ao tratamento anti-histamínico standard. Nestes doentes, o tratamento com o anticorpo monoclonal anti-IgE omalizumab evidenciou ser uma terapia altamente efetiva e bem tolerada.   

13. O 25-hidroxicolesterol (25-HC) afeta a libertação de citocinas e modula a resposta do recetor tipo toll 3 (TLR3) em células epiteliais das vias respiratórias

Koarai A, Yanagisawa S, Sugiura H, Ichikawa T, Kikuchi T et al.  25-hydroxycholesterol enhances cytokine release and toll-like receptor 3 response in airway epithelial cells. Respiratory Research 2012; 13: 63. doi:10.1186/1465-9921-13-63

Abstract Provisório

PDF Provisório

Comentário do Editor: Os autores demonstraram que o 25-HC estimula a libertação de IL-8 e IL-6, sobretudo através da via NF-kB, e melhora a libertação de IL-8 e IFN-β após a estimulação de TLR3 em células epiteliais das vias respiratórias humanas, sugerindo que o 25-HC possa estar envolvido na inflamação neutrofílica das vias respiratórias.

14. Beta2 agonistas de longa atuação são a única opção para crianças cuja asma não esteja adequadamente controlada apenas com corticosteróides inalados

van Asperen PP. Long-acting beta2 agonists for childhood asthma. Australian Prescriber 2012; 35(4): 111–113.

Texto Completo, Gratuito

Comentário do Editor: O autor fez a revisão da eficácia e segurança de beta2 agonistas de longa atuação, atualmente sobreprescritos em crianças, e concluiu que as evidências da sua eficácia e segurança são limitadas. Há pouca evidência de que reduzem o risco de exacerbações severas, e alguma evidência de que eventualmente possam aumentar este risco. O uso regular de agonistas de longa atuação pode ainda resultar numa perda de proteção contra broncoconstrição induzida pelo exercício, e no desenvolvimento de tolerância a agonistas de curta atuação.

15. Compreender os mecanismos de tolerância das vias respiratórias poderá ajudar a melhorar a terapêutica em casos de asma alérgica e cancro de pulmão

Andreev K, Graser A, Maier A, Mousset S, Finotto S. Therapeutical measures to control airway tolerance in asthma and lung cancer. Frontiers in Immunology 2012; 3(216). doi:0.3389/fimmu.2012.00216

Texto Completo, Gratuito

Comentário do Editor: Esta revisão atualiza o que se conhece atualmente sobre o efeito das citocinas TGF-β, IL-10, e IL-17A nas respostas imunes contra antigénios a nível pulmonar, e analisa a sua implicação na asma alérgica e no cancro de pulmão.