Contact WAO | e-News Sign Up | Site Map | Home  
World Allergy Organization
WAO's mission: To be a global resource and advocate in the field of allergy, advancing excellence in clinical care through education, research and training as a world-wide alliance of allergy and clinical immunology societies.

Revisões WAO – Escolha do Editor

Abril 2013

Os artigos são selecionados pela sua importância para os clínicos que assistem doentes com asma e com doenças alérgicas/imunológicas pelo Dr Juan Carlos Ivancevich, Web Editor Chefe da WAO, e pelo Dr Phillip Lieberman, Editor das revisões da WAO

1. Reconhecimento de subfenótipos específicos de asma.

Cottini M, Asero R. Asthma phenotypes today. European Annal of Allergy and Clinical Immunology. 2013; 45(1): 17-24.

Texto Completo, Acesso Livre

Comentário do Editor: Nesta excelente revisão, os autores concluíram que a asma é uma síndrome complexa, e para melhorar a nossa compreensão da asma será necessário classificar os doentes de acordo com os mecanismos subjacentes à doença em cada indivíduo, e não de acordo com as suas características clínicas. A classificação dos doentes com asma por fenótipo/endótipo facilitará investigações futuras que envolvam ensaios para novos alvos terapêuticos e tratamentos endótipo-específicos.

2. Endótipos de rinosinusute cronica (RSC) podem ser caracterizados por diferenças na capacidade de resposta a diferentes tratamentos

Akdis CA, Bachert C, Cingi C, Dykewicz M, Hellings P et al. Endotypes and phenotypes of chronic rhinosinusitis: A PRACTALL document of the European Academy of Allergy and Clinical Immunology and the American Academy of Allergy, Asthma & Immunology. The Journal of Allergy and Clinical Immunology. 2013; Article in press; corrected proof published online 15 April. (doi:10.1016/j.jaci.2013.02.036)

Texto Completo, Livre

Comentário do Editor: Nesta revisão abrangente os autores destacam que a RSC é composta por vários grupos de subtipos biológicos, ou "endótipos", que são definidos por mecanismos fisiopatológicos distintos que podem ser identificados por biomarcadores correspondentes. A melhor identificação dos endótipos poderá permitir a individualização da terapêutica, que pode ser direcionada contra os processos fisiopatológicos do endótipo de um paciente, com potencial para o tratamento mais eficaz e melhores resultados para os pacientes.

3. Poluentes ao longo de estradas movimentadas são responsáveis ​​por uma parcela elevada e evitável de asma e exacerbações agudas relacionadas, em áreas urbanas europeias

Perez L, Declercq C, Iñiguez C, Aguilera I, Badaloni C. Chronic burden of near-roadway traffic pollution in 10 European cities (APHEKOM network). European Respiratory Journal. 2013; published online before print, 21 March. (doi: 10.1183/09031936.00031112)

Texto Completo, Livre

Comentário do Editor: Os autores estimaram o peso da asma na infância atribuível à poluição do ar em 10 cidades europeias através do cálculo do número de casos de: 1) asma causada por poluição associada à proximidade de tráfego rodoviário, e 2) eventos agudos de asma relacionados com os níveis de poluição do ar urbano. A exposição a estradas com tráfego elevado de veículos, um índice para  poluição associada à proximidade de estradas com tráfego rodoviário, correlacionou-se com 14% de todos os casos de asma. Quando se assumiu uma relação causal entre poluição associada à proximidade de estradas com tráfego rodoviário e asma, 15% de todos os episódios de sintomas de asma são atribuíveis à poluição do ar.

4. A redução dos níveis de poluentes interiores pode ser particularmente benéfico em crianças asmáticas com excesso de peso.

Lu KD, Breysse PN, Diette GB, Curtin-Brosnan J, Aloe C et al. Being overweight increases susceptibility to indoor pollutants among urban children with asthma. The Journal of Allergy and Clinical Immunology. 2013; 131(4): 1017-1023.e3.

Texto Completo, Livre

Comentário do Editor: O excesso de peso pode aumentar a susceptibilidade aos efeitos pulmonares da exposição a materiais particulados finos interiores, de tamanho inferior a 2,5 mm de diâmetro (PM2.5) e a dióxido de azoto (NO2), em crianças de zonas urbanas com asma.

5. Guia útil para investigadores na previsão de alergénios.

Wang J, Yu Y, Zhao Y, Zhang D, Li J.Evaluation and integration of existing methods for computational prediction of allergens. BMC Bioinformatics. 2013; 14(Suppl 4):S1.(doi:10.1186/1471-2105-14-S4-S1)

Texto Completo, Acesso Livre

Comentário do Editor: Este estudo avaliou de forma abrangente as abordagens computorizadas de previsão de alergénios com base em sequências, motivos e SVM (Support Vector Machine), e optimizou os seus parâmetros para obter melhor performance. A integração destes métodos numa aplicação proAP da web facilita muito os esforços dos utilizadores para fazer   pesquisa e previsão personalizadas de alergénios. A aplicação PROAP pode ser consultar-se em http://gmobl.sjtu.edu.cn/proAP/main.html.

6. Dermatite atópica (DA) e endocardite infecciosa (EI).

Fukunaga N, Okada Y, Konishi Y, Murashita T, Koyama T.Pay Attention to Valvular Disease in the Presence of Atopic Dermatitis. Circulation Journal. 2013; Published online before print, 27 March. (doi: 10.1253/circj.CJ-12-1371)

Texto Completo, Livre

Comentário do Editor: Os autores concluíram que, como a colonização estafilocócica em lesões cutâneas de DA é elevada, devem ser introduzidos em doentes com DA cuidados pré-operatórios cutâneos para prevenir a infecção por S. aureus na sequência de cirurgia de coração aberto para a EI.

7. Aplicação de métodos de séries temporais a dados populacionais para medir e projetar tendências na incidência e prevalência de asma.

To T, Stanojevic S, Feldman R, Moineddin R, Atenafu E. Is asthma a vanishing disease? A study to forecast the burden of asthma in 2022. BMC Public Health. 2013; 12:254. (doi:10.1186/1471-2458-13-254)

Texto Completo, Acesso Livre

Comentário do Editor: Os autores utilizaram bases de dados administrativas de saúde para identificar e rastrear todos os indivíduos com asma no Sistema de Informação de Vigilância Asma de Ontário (OASIS). Foram identificados indivíduos com asma entre 01 abril de 1996 e 31 de março de 2010. Modelos de suavização exponencial foram aplicados aos dados anuais para projetar incidência para o ano de 2022, e a prevalência foi estimada aplicando a incidência projetada acumulada à população projetada. Estimou-se que, em Ontário, cerca de 1 em cada 8 indivíduos terá asma em 2022, o que sugere que a asma vai continuar a ter um grande peso para os indivíduos e o sistema de saúde.

8. Doença de Kawasaki (DK) e risco aumentado para doenças alérgicas.

Kuo H-Ch, Chang W-C, Yang KD, Yu H-R, Wang C-L et al.Kawasaki disease and subsequent risk of allergic diseases: a population-based matched cohort study. BMC Pediatrics. 2013; 13:38.  (doi:10.1186/1471-2431-13-38)

Texto Completo, Acesso Livre

Comentário do Editor: A taxa de incidência de doenças alérgicas foi significativamente superior na coorte DK do que na coorte de controlo. Após o ajuste para potencias factores confundidores, as taxas de risco ajustado para asma e rinite alérgica foram 1,51 e 1,30, respectivamente. Os autores concluem que os pacientes DK apresentavam um risco aumentado para doenças alérgicas.

9. A severidade da doença pode prever a duração da urticaria espontânea crónica (UEC).

Rabelo-Filardi R, Daltro-Oliveira R, Campos RA. Parameters associated with chronic spontaneous urticaria duration and severity: A systematic review. International Archives of Allergy and Immunology. 2013; 161(3): 197-204. (doi.10.1159/000346896)

Abstract

Comentário do Editor: Dois autores procuraram, de forma ​​independente, na PubMed, até junho de 2012, estudos observacionais que investigassem a associação entre parâmetros clínicos ou laboratoriais e a duração da doença ou a sua gravidade, em pacientes UEC. As evidências sugerem que a gravidade da urticária pode prever a duração da UEC, e os níveis plasmáticos de fragmento 1 + 2 de protrombina, dímero-D e proteína C-reativa podem funcionar como marcadores de gravidade da UEC.

10. Associação inversa entre os níveis de IgA e a incidência de doenças alérgicas das vias respiratórias.

Gloudemans AK, Lambrecht BN, Smits HH.Potential of Immunoglobulin A to prevent allergic asthma. Clinical and Developmental Immunology. 2013; 2013:542091. (doi:10.1155/2013/542091)

Texto Completo, Acesso Livre

Comentário do Editor: Esta revisão destaca a literatura mais recente sobre o papel da IgA das mucosas na protecção contra a doença alérgica das vias respiratórias, os mecanismos descritos para induzir IgA secretória, bem como o papel das células dendríticas das mucosas neste processo. Finalmente, os autores discutem de que forma esta informação pode ser usada para melhorar o desenvolvimento de novas terapias contra doenças alérgicas baseadas em, ou suplementadas com, estratégias que impulsionem a produção de IgA.

11. A Vitamina D em doentes asmáticos adultos e a sua associação com a severidade e o controlo da asma.

Korn S, Hübner M, Jung M, Blettener M, Buhl R. Severe and uncontrolled adult asthma is associated with vitamin D insufficiency and deficiency. Respiratory Research. 2013; 14:25, 22 February. (doi:10.1186/1465-9921-14-25)

Abstract
Texto Completo, Acesso Livre, PDF Provisório

Comentário do Editor: Os autores avaliaram os parâmetros clínicos de controle da asma e as concentrações séricas de 25-hidroxivitamina D (25(OH)D) de 280 doentes asmáticos. Níveis de 25(OH)D abaixo de 30 ng / ml eram comuns em adultos asmáticos e eram menores em doentes com asma severa e/ou descontrolada, o que suporta a hipótese de que a melhoria do status sub-óptimo de vitamina D pode ser eficaz na prevenção e tratamento da asma.

12. Ferramenta de classificação de consenso baseada em evidência das recomendações preventivas sobre alergia à sulfonamida e reatividade cruzada entre medicamentos contendo sulfonamidas.

Ghimire S,  Kyung E , Lee JH, Kim JW, Kang W et al. An evidence-based approach for providing cautionary recommendations to sulfonamide-allergic patients and determining cross-reactivity among sulfonamide-containing medications.  Journal of Clinical Pharmacy and Therapeutics. 2013; published online before print, 13 March. (doi:10.1111/jcpt.12048)

Texto Completo, Livre

Comentário do Editor: Os autores identificaram discrepâncias significativas nas recomendações de prevenção, que vão desde ausência de advertência ou precaução até contraindicações incluídas nos rótulos e compêndios do fármaco. A ferramenta de classificação de consenso baseada em evidência desenvolvida pode ser útil para derivar recomendações preventivas para pacientes alérgicos à sulfonamida.