Contact WAO | e-News Sign Up | Site Map | Home  
World Allergy Organization
WAO's mission: To be a global resource and advocate in the field of allergy, advancing excellence in clinical care through education, research and training as a world-wide alliance of allergy and clinical immunology societies.

Revisões WAO – Escolha do Editor

Setembro 2013

Os artigos são selecionados pela sua importância para os clínicos que assistem doentes com asma e com doenças alérgicas/imunológicas pelo Dr Juan Carlos Ivancevich, Web Editor Chefe da WAO, e pelo Dr Phillip Lieberman, Editor das revisões da WAO

1. Doentes com asma grave e o potencial benefício do tratamento com estatinas.

Zeki AA, Oldham J, Wilson M, Fortenko O, Goyal V et al. Statin use and asthma control in patients with severe asthma. BMJ Open 2013; 3(8): e003314. (doi:10.1136/bmjopen-2013-003314)

Texto Completo, Acesso Livre

Comentário do Editor: Num estudo retrospetivo, transversal e observacional, os autores descobriram que os pacientes com asma grave que tomam estatinas, além da terapêutica standard de controlo com inalador melhoraram os sintomas de asma. A melhoria no score do Teste de Controlo da Asma associada ao uso de estatinas prevê uma redução do risco de exacerbações agudas e menor necessidade de uso de broncodilatador de emergência. Os autores concluíram que o uso de estatinas está associado à melhoria do controlo da asma grave.

2. Efeitos da suplementação com probióticos na sensibilização atópica e na prevenção de asma/sibilância em crianças.

Elazab N, Mendy A, Gasana J, Vieira ER, Quizon A, Forno E. Probiotic administration in early life, atopy, and asthma: A meta-analysis of clinical trials. Pediatrics 2013; 0246. Published online ahead of print, 19 August (doi:10.1542/peds.2013-0246)

Texto Completo, Livre

Comentário do Editor: Os autores realizaram uma meta-análise de estudos randomizados controlados por placebo e concluíram que a administração pré-natal e/ou no início da vida de probióticos reduz o risco de sensibilização atópica e diminui o nível de IgE total em crianças, mas pode não reduzir o risco de asma/ sibilância.

3. Biomarcadores clínicos para avaliar a natureza e a severidade da asma.

Vijverberg SJH, Hilvering B, Raaijmakers JA, Lammers JW, Maitland-van der Zee AH, Koenderman L. Clinical utility of asthma biomarkers: from bench to bedside. Biologics: Targets and Therapy 2013; 7: 199-210. (doi:dx.doi.org/10.2147.BTT.S29976)

Texto Completo, Acesso Livre

Comentário do Editor: Biomarcadores recentemente identificadas podem ser integrados numa abordagem multidimensional para reforçar a capacidade de diagnóstico de um algoritmo clinicamente aplicável à fenotipagem da asma.

4. Características clínicas e a influência da modalidade de tratamento inicial no controlo a longo prazo da urticária idiopática crónica (UIC).

Kim S, Baek S, Shin B, Yoon S-Y, Park SY et al. Influence of initial treatment modality on long-term control of chronic idiopathic urticaria. PLoS ONE 2013; 8(7): e69345. (doi:10.1371/journal.pone.0069345)

Texto Completo, Acesso Livre

Comentário do Editor: Este estudo fornece uma visão sobre as características clínicas de doentes com UIC num hospital de referência terciária na Coreia. Os autores sugerem, de acordo com os dados obtidos, que os médicos não devem prescrever rotineiramente múltiplos anti-histamínicos H1, ou corticoides orais, em doentes com UIC, a menos que se apresentam com sintomas muito graves.

5. Papel do receptor da neurocinina-1 (NK-1R) no desenvolvimento da rinite alérgica (RA) em ratos.

Wang H, Zhang R, Wu J. Knockdown of neurokinin-1 receptor expression by small interfering RNA prevents the development of allergic rhinitis in rats. Information Research 2013. (doi:10.1007/s00011-013-0649-5)

Texto Completo, Livre

Comentário do Editor: No presente estudo os autores descobriram que a indução do aumento expressão de NK-1R na mucosa nasal dos ratos, na RA, foi associada com sintomas clínicos e com a inflamação da mucosa nasal relacionada com a presença de eosinófilos. O tratamento intranasal com siRNA-1R-NK específico não só reduziu dramaticamente os níveis de expressão de NK-1R, mas também aliviou os sintomas clínicos relacionados com a RA e a inflamação da mucosa nasal.

6. Biomarcadores que reflectem a inflamação das vias aéreas quando os corticosteroides inalados (ICS) são diminuídos em doentes asmáticos estabilizados.

Kato G, Takahashi K, Izuhara K, Komiya K, Kimura S, Hayashi S. Markers that can reflect asthmatic activity before and after reduction of inhaled corticosteroids: A pilot study. Biomarker Insights 2013; 8: 97-105. (doi:10.4137/BMI.S12537)

Texto Completo, Acesso Livre

Comentário do Editor: Os autores concluíram que uma contagem mais elevada de eosinófilos no sangue periférico e uma variação diurna mais ampla do PFE foram preditores de doença instável após a redução de CSI. A periostina sérica é outro candidato a marcador preditivo.

7. Deficiência em células natural killer e imunodeficiências que afetam as células NK.

Orange JS. Natural killer cell deficiency. Journal of Allergy and Clinical Immunology 2013; 132(3): 515-525.

Texto Completo, Livre

Comentário do Editor: Esta excelente revisão fornece uma visão geral dos avanços substanciais feitos no entendimento da NKD. Também relembra as imunodeficiências primárias que afetam as células NK e desenvolve revisões anteriores deste tópico.

8. Efeitos colaterais dos Corticosteróides sistémicos podem ser minimizados através da monitorização cuidadosa do doente e da implementação de medidas preventivas.

Liu D, Ahmet A, Ward L, Krishnamoorthy P, Mandelcorn ED et al. A practical guide to the monitoring and management of the complications of systemic corticosteroid therapy. Allergy Asthma and Clinical Immunology 2013; 9: 30. (doi:10.1186/1710-1492-9-30)

TextO Completo, Acesso Livre

Comentário do Editor:  Este artigo abrangente analisa eventos adversos devido à corticoterapia sistémica e oferece recomendações práticas para a sua prevenção e gestão baseada tanto na literatura atual como na experiência clínica dos autores.

9. Estudos de provocação clínica realizados com alergénios recombinantes.

Niederbergera V, Eckl-Dornab J and , Paulia G. Recombinant allergen-based provocation testing. Methods 2013; In press, uncorrected proof, online before print, August 2013.

Texto Completo, Livre

Comentário do Editor: Os autores descrevem métodos importantes de provocação (teste de sensibilidade cutânea, teste intradérmico, patch test, teste de provocação nasal, teste de provocação colonoscópica) e dam uma visão geral dos estudos de provocação clínicos que foram realizados com alergénios recombinantes para a avaliação de novas vacinas com potencial alergénico reduzido e / ou com redução de epítopos para células T específicas do alergénio.

10. Novas estratégias terapêuticas com modificadores da resposta imune biológica para a asma severa.

Nakamura Y. Developmental current and future therapy for severe asthma. Inflammation & Allergy – Drug Targets 2013; 12(1): 54-60. (10.2174/187152111312010008)

Texto Completo, Livre

Comentário do Editor: Esta avaliação abrangente sobre terapias que usam inibidores de citocinas para asma severa apresenta uma forma para esclarecer o papel individual das citocinas na patogénese e novas abordagens para identificar fenótipos de asma.

11. Os superantigénios são críticos para o desenvolvimento de endocardite infeciosa, sepsis e lesão renal aguda a Staphylococcus aureus

Salgado-Pabón W, Breshears L, Spaulding AR, Merriman JA, Stach CS et al. Superantigens are critical for Staphylococcus aureus infective endocarditis, sepsis, and acute kidney injury. mBio 2013; 4(4): e00494-13. (doi:10.1128/mBio.00494-13)

Texto Completo, Acesso Livre

Comentário do Editor: Neste estudo experimental os autores demonstraram que os superantigénios são fundamentais na génese de endocardite infeciosa, sepsis e lesão renal aguda a Staphylococcus aureus. Demonstraram associação de resultados entre superantigenicidade e efeitos tóxicos diretos sobre as células endoteliais.

12. Descobertas e lições aprendidas a partir do século passado, relativas à função de mastócitos e basófilos como efetores do sistema IgE e os mediadores que produzem.

Blank U, Falcone FH, Nilsson G. The history of mast cell and basophil research – some lessons learnt from the last century. Allergy 2013; Published online before print. (doi:10.1111/all.12197)

Texto Completo, Livre

Comentário do Editor: Nesta análise, os autores recuperam algumas das descobertas importantes que seguiram a descrição da reação Praunsnitz e Küstner, que mostrou que o fator responsável pela anafilaxia pode ser transferido de um indivíduo para o outro. Em particular, descrevem a descoberta da IgE e dos recetores de IgE, bem como os tipos de células e mediadores responsáveis​​pela reação anafilática.